32ª Bienal em Porto

Seleção de trabalhos da 32ª Bienal de São Paulo chegam a Porto, confirmando a crescente conexão artística entre Portugal e Brasil

Ana Abril
Pavilhão desenhado pelo escritório de arquitetura depA para o trabalho de Jonathas de Andrade durante a exposição Incerteza Viva: Uma exposição a partir da 32ª Bienal de São Paulo (Fotos: Filipe Braga/ Fundação de Serralves)

Após mostra itinerante por cidades brasileiras, como Campinas (SP), Belo Horizonte (MG) e Cuiabá (MT), alguns trabalhos da 32ª Bienal de São Paulo cruzam o Atlântico para se apresentar em Portugal, especificamente na cidade do Porto. A mostra, intitulada Incerteza viva: Uma exposição a partir da 32ª Bienal de São Paulo, reúne projetos de 14 artistas e coletivos, dos quase 90 que expuseram em São Paulo, e acontece na Fundação Serralves. Além disso, a iniciativa foi concebida a partir de um diálogo entre o curador da mostra original, Jochen Volz, e João Ribas, diretor adjunto do Museu de Serralves.

A exposição acontece no cenário do Parque e do Museu de Serralves e, por isso, foram encomendados cinco pavilhões de jovens arquitetos do Porto. Neles, se apresentam trabalhos de Gabriel Abrantes, Priscila Fernandes e Jonathas de Andrade, entre outros. Não à toa, a portuguesa Carla Filipe apresenta no Parque uma obra construída a partir de plantas comestíveis não-convencionais (PANCS). Já no interior do Museu, estão as obras de Lais Myrrha, Lourdes Castro, Vídeo nas Aldeias, Leon Hirszman, Grada Kilomba e uma instalação de Sonia Andrade, na Galeria Contemporânea. A mostra foi criada com o intuito de condensar as principais ideias recolhidas na 32ª Bienal de São Paulo, sobre as estratégias da arte contemporânea para acolher ou habitar a incerteza.

  • Obra de Carla Filipe, na exposição Incerteza Viva: Uma exposição a partir da 32ª Bienal de São Paulo, no Museu e Parque de Serralves
  • Obra de Lais Myrrha, no Museu de Arte Contemporânea de Serralves
  • Pavilhão desenhado pelo escritório de arquitetura Fahr para obra de Priscila Fernandes

 

A itinerância em Porto confirma a importância das relações artísticas entre Brasil e Portugal, empreendimento que também compartilha a seLecT, dedicando a próxima edição da revista (número 36) ao mundo da arte que fala português. A #select36 chegará às bancas a partir de setembro.

Ainda, diferentes recortes de obras da Bienal serão exibidos no Museo de Arte Moderno de Bogotá (Mambo), na Colômbia, e em outras cidades brasileiras, como Palmas (TO) e Santos (SP).

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.