A joia labirinto

Em parceria com a Talento, Regina Silveira lança peça que sintetiza o encontro entre a arte contemporânea e a joalheria autoral

Da redação
Detalhe da Edição de Artista realizada por Regina Silveira

O projeto Joia de Artista foi lançado em 2016 para promover o encontro entre a arte contemporânea e a joalheria autoral. Com curadoria de Waldick Jatobá, idealizador da feira de design autoral MADE, e realização da Talento – Handmade Masterpieces, prevê o lançamento anual de joias desenhadas por cinco artistas brasileiras. Regina Silveira é a primeira artista contemporânea convidada a participar do projeto, desenhando uma joia colecionável. O Bracelete-Labirinto (2017) tem lançamento previsto em 19/8, na Luciana Brito Galeria, com tiragem de dez peças e duas provas de artista (PA).

Estudo em 3D do Bracelete-Labirinto (2017) de Regina Silveira, realizado por David dos Santos

 

Em uma parceria com a Joalheria Talento, a #seLecT35 disponibilizou para seus leitores, em primeira mão, um desenho preparatório para o Bracelete-Labirinto, como parte do projeto Edição de Artista. Saiba mais.

Joia roubada 
Em 2016, Joia de Artista reeditou o único colar jamais realizado pela arquiteta Lina Bo Bardi, em 1947, com águas-marinhas e ouro, para uso pessoal. A joia em formato de cascata desapareceu após um roubo na casa da arquiteta, em 1986. Uma única fotografia, tirada de Lina usando o colar em uma festa de Carnaval, permitiu aos designers e ourives da Talento recriá-lo e devolvê-lo à Casa de Vidro. Foram necessários nada menos que cem dias e 11 profissionais de ourivesaria para criar um único colar, numerado e certificado, como um múltiplo de arte.

O projeto trouxe à tona as pesquisas, os escritos e os desenhos de Lina sobre as pedras brasileiras. À frente de seu tempo, ela foi pioneira em defender o valor e a importância das pedras brasileiras – quartzos, malaquitas e turmalinas – no design nacional. Desenhou pelo menos 19 colares, anéis e pulseiras, que não chegaram a ser realizados. Na coleção da Talento, o colar foi reeditado em dez peças realizadas em ouro branco com água-marinha, prasiolitas, ametista lavanda e topázios azuis.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.