Postado no dia 26 de Julho de 2012 - 16h54m
Atualizado no dia 26 de Julho de 2012 - 16h55m

Perdemos Franz West

Texto: Juliana Monachesi • PÁGINA 1 de 2

Escultor austríaco morre aos 62 anos

Franz-west1

Na Bienal de Veneza do ano passado, sua participação foi desconcertante, de tão boa. Ele levou a cozinha de seu ateliê em Viena, onde mantinha uma coleção de obras de amigos e artistas admirados em exposição permanente, para o Arselane, onde a cozinha e todo o seu conteúdo foi remontada, só que do "avesso". Era o melhor trabalho de toda a 54a Bienal. Havia outra obra dele no Giardino delle Vergini, daquelas esculturas feitas de alumínio laqueado cor-de-rosa, intitulada Eidos (2009). Era um presente para os olhos de quem caminhava debaixo de sol pelo percurso externo do Arsenale na última edição da mostra - que, não por acaso, premiou o artista com o Golden Lion for Lifetime Achievement (Leão de Ouro pelo conjunto da obra). Na cerimônia de entrega do prêmio, ele compareceu já bastante abatido pela doença no fígado que ocasionou sua morte, na noite de ontem, em Viena.

No site da galeria que o representa, a Gagosian, a página de entrada para o conteúdo sobre o artista traz o seguinte depoimento: "It is with tremendous sadness that the Franz West Foundation, Gagosian Gallery, Galerie Meyer Kainer and Galerie Eva Presenhuber announce the death of Franz West, which occurred last night. He died peacefully in Vienna, Austria after a long illness. Franz West was one of the most innovative and progressive artists of his generation, who charmed, influenced and inspired his contemporaries, students and followers and all those who encountered him. His sculptural sensibilty culminated in the physical engagement of the onlooker with his sculpture making him become part of the work. He has shown in museums, galleries worldwide as well as repeatedly at documenta in Kassel, the Venice and other Biennales. In 2011 he was awarded the Golden Lion at the Biennale di Venezia in recognition for his life's work.