Brasil é nota 12 na Alemanha

Mais de uma dezena de produções nacionais participam da 67ª Berlinale, entre eles o curta dos artistas Bárbara Wagner e Benjamin de Burca

Ana Abril
Fotograma do curta Estás Vendo Coisas, de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca (Foto: Reprodução)
Fotograma do curta Estás Vendo Coisas, de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca (Foto: Reprodução)

A 67ª Berlinale (Berlin Internacional Film Festival) dá o pontapé inicial em 9/2 (quinta-feira) com grandes perspectivas para o Brasil. Isso porque 12 produções nacionais, nove longa-metragens e três curtas, participam ou são apresentados na premiação alemã.

As artes visuais estão representadas pelos artistas Bárbara Wagner e Benjamin de Burca e seu curta-metragem Estás Vendo Coisas, criado especialmente para a 32ª Bienal de São Paulo. Com a intenção de desconstruir a linguagem da música brega por meio de um roteiro que acontece no interior de uma balada em Recife, o curta com formato de musical competirá com outras 22 produções na Berlinale Shorts.

Além disso, o longa Joaquim, dirigido pelo pernambucano Marcelo Gomes e que conta a história de Tiradentes, está na competição principal do evento. Pendular, de Julia Murat, e o curta-metragem de animação Vênus-Filó A Fadinha Lésbica, de Sávio Leite, serão exibidos na mostra Panorama. Já o último trabalho de Laís Bodansky, Como Nossos Pais, se apresenta no Panorama Special e o documentário No Intenso Agora, de João Moreira Salles, faz parte da seção Panorama Documente.

Esse ano, a Berlinale conta com o cineasta e roteirista holandês Paul Verhoeven como presidente do júri. Boa sorte aos nominados!