Novas linhas de aprendizado

Parquinho Lage propõe novo modelo de ensino de arte contemporânea para crianças com oficinas de caráter transversal

Luana Fortes
Parquinho Lage (Foto: Renan Lima)

Em um momento em que a importância da arte na educação infantil vem sendo questionada, surge na Escola de Arte Visuais (EAV) do Parque Lage um novo projeto com cursos dedicados a crianças de 6 a 12 anos. A iniciativa, denominada Parquinho Lage, é de supervisão da crítica e curadora Lisette Lagnado e busca formular novas linhas de aprendizado a partir de práticas experimentais. “A proposta educacional investe na ideia de horizontalidade entre professor e aluno, entendendo que os ensinamentos acontecem de forma mútua”, conta Lagnado.

Diretor da EAV Parque Lage, Fabio Szwarcwald, apresentando o logotipo do Parquinho Lage para Abraham Palatnik (Foto: Marina Ribas)

Os cursos custam a partir de R$ 400 e oferecem diferentes experiências durante todo o mês de julho. A programação não foi pensada a partir de técnicas, mas sim de propostas de caráter transversal, cujo fio condutor são manifestações artísticas, especialmente as nacionais. “Como nas máquinas cinéticas do grande artista brasileiro Abraham Palatnik, aqui a criança é o motor e a aula o movimento”, continua a curadora. Para o logotipo do Parquinho, que ganhará até versão animada, a obra Objeto Cinético P4 de Palatnik inclusive serviu como referência.

A cada semestre, um vetor conceitual será escolhido para guiar a programação da escolinha. Inaugurando o projeto, a palavra “sonho” foi adotada como campo de conhecimento pela descoberta do inconsciente. Confira todos os cursos no site: eavparquelage.rj.gov.br/parquinholage

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.