Qual a cara do Brasil?

Com curadoria de Rafael Vogt, exposição Retratos mostra trabalhos nacionais que exploram o gênero desde 1964

Luana Fortes
Retrato de Leonilson, fotografado por Bob Wolfenson em 1986 (Foto: Bob Wolfenson)
Retrato de Leonilson, fotografado por Bob Wolfenson em 1986 (Foto: Bob Wolfenson)

Indagações feitas por Wesley Duke Lee a partir dos anos 1960 e conversas com o recém falecido Tunga serviram de pontapé inicial para Rafael Vogt Maia Rosa idealizar a exposição Retratos, na Galeria Millan, da qual assina a curadoria. O crítico e pesquisador, que também marca sua presença no curso Oficina de Crítica e Escrita sobre Arte na Casa seLecT, buscou evidenciar experimentações brasileiras no gênero retrato, tendo em vista os possíveis arcaísmos e primitivismos presentes em nossa cultura.

Na mostra, estão presentes 30 trabalhos produzidos entre 1964 e 2017 e traz artistas como Mario Cravo Neto, Waldemar Cordeiro, Geraldo de Barros, Lenora de Barros, Vik Muniz, Sergio Romagnolo e Ana Prata, além dos próprios Wesley Duke Lee e Tunga.

Trabalho Pitágoras (From La Voice Humide), realizado em 2014 por Tunga (Foto: Tunga)

Trabalho Pitágoras (From La Voice Humide), realizado em 2014 por Tunga (Foto: Tunga)

Trabalho Odé, realizado em 1989 por Mario Cravo Neto (Foto: Mario Cravo Neto)

Trabalho Odé, realizado em 1989 por Mario Cravo Neto (Foto: Mario Cravo Neto)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Serviço
Retratos
Galeria Millan
Rua Fradique Coutinho, 1360 – Vila Madalena – São Paulo
Até 8/4
galeriamillan.com.br

 

Artigo anterior:
Próximo artigo: