seLecTs

Dicas da semana (18/5) selecionadas pela redação

Ana Abril e Luana Fortes
o
Fotografia da série Alice e o Chá através do Espelho, de Rafael Bqueer (Foto: Divulgação)

SALVADOR
SEXUALIDADE E GÊNERO
Mostra CUS 10 anos, 18, 19 e 20/5, Goethe-Institut Salvador-Bahia, Av. Sete de Setembro, 1809 | www.goethe.de/ins/br/pt/sta/sal.html 
Com o objetivo de discutir diferentes formas de ativismo em sexualidade e gênero, a Mostra CUS 10 anos abriga debates, exibição de filme, teatro, performances, oficinas e lançamento de livros durante os dias 18, 19 e 20/5. Também inaugura a exposição Campo de Batalha, em cartaz até 27/5. Com curadoria de Tiago Sant’Ana, a mostra traz artistas, como Ana Verana, Miro Spinelli, Virgínia de Medeiros e Rafael Bqueer, que discutem os temas de sexualidade e gênero.

Emboaçava, de Rodrigo Bueno (Foto: Cortesia do artista)

Emboaçava, de Rodrigo Bueno (Foto: Cortesia do artista)

SÃO PAULO
CONHECER A HISTÓRIA
Ativação de Emboaçava (lugar de passagem), em 20/5, às 15h, Galpão VB | Associação Cultural Videobrasil, Av. Imperatriz Leopoldina, 1150 | site.videobrasil.org.br/galpaovb
O artista Rodrigo Bueno e Gabriel Bogossian, curador da exposição Nada Levarei Quando Morrer, Aqueles que me Devem Cobrarei no Inferno, realizarão um passeio pela mostra e, depois, pelo bairro Vila Leopoldina, onde o Galpão VB está localizado. A atividade faz parte da ativação de Emboaçava, único trabalho comissionado da exposição, realizado com grades de ferro de casas demolidas e pedaços variados da flora de São Paulo. Emboaçava, que em tupi significa “a ação de atravessar, a passagem”, faz referência a um fato histórico relacionado com invasões, proibições e desaparecimentos e com a população indígena e os colonizadores.

SÃO PAULO
POR TRÁS DE UMA EXPOSIÇÃO
Zip’Up: Museu mise-en-scène, de Isis Gasparini, de 18/5 até 14/6, Zipper Galeria, Rua Estados Unidos, 1494 | www.zippergaleria.com.br
A relação entre público e obra de arte no espaço museológico é problematizada por Isis Gasparini em Museu mise-en-scène, na Zipper Galeria. A artista pesquisa as dinâmicas cenográficas e coreográficas por trás da montagem de uma exposição, usando a fotografia, o vídeo e a instalação como linguagem. A mostra faz parte do projeto Zip’Up, dedicado a projetos curatoriais inéditos, e conta com a curadoria do coletivo Ágata.

Vista da exposição (Foto: Divulgação)

Vista da exposição (Foto: Divulgação)

RIO DE JANEIRO
ENTRE TRAMAS
Tecido, de Marina Weffort, de 18/5 até 24/6, Galeria Cavalo, Rua Sorocaba, 51 | www.galeriacavalo.com
Marina Weffort apresenta pela primeira vez no Rio de Janeiro uma exposição individual. A mostra Tecido reúne 10 trabalhos em que formas geométricas são contrapostas à fluidez de tramas sintéticas delicadamente desfiadas. Cada uma dessas obras reage, à sua maneira, ao ambiente que as circunda. Desse modo, o antigo casarão onde se encontra a galeria Cavalo e os trabalhos de Weffort estão em constante diálogo.

Desertões de Elida Tessler (Foto: Dilvugação)

Desertões de Elida Tessler (Foto: Dilvugação)

SÃO PAULO
LEITURAS E RELEITURAS
Recortar Copiar Colar, de Elida Tessler, de 20/5 até 15/7, Bolsa de Arte, Rua Mourato Coelho, 790 | www.bolsadearte.com.br
Elida Tessler faz releituras de seus próprios trabalhos em exposição Recortar Copiar Colar, na Galeria Bolsa de Arte. A artista recorre aos seus últimos 15 anos de trajetória em busca de antigas e novas relações entre arte e literatura. No dia em que abre a mostra, 20/5, Donaldo Schüler também lança seu novo livro Joyce Era Louco? a partir das 11h30.

Matemória l

Matemória I, de Guilherme Zawa (Foto: Divulgação)

CURITIBA
NOVA FOTOGRAFIA 
Máquinas Sem Palavras, de Guilherme Zawa, de 18/5 até 23/7, Museu da Fotografia de Curitiba, Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 533 | www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/espacos-culturais/museu-da-fotografia-cidade-de-curitiba/
Com curadoria de Paulo Gallina, a exposição de Guilherme Zawa propõe a decodificação do instante fotográfico e a transfiguração da máquina fotográfica em um novo sentido humano. A mostra está composta de 16 trabalhos, produzidos a partir de fotografias digitais que exploram a transição do momento capturado, para assim criar uma narrativa completa. Após sua passagem por Curitiba, Máquinas Sem Palavras segue rumo a São Paulo e Nova York.

Série Envolvimentos (Foto: Divulgação)

Série Envolvimentos (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
FIGURA OU FUNDO?
Envolvimentos, de Wanda Pimentel, de 18/5 até 17/9, MASP, Av. Paulista, 1578 | masp.org.br
MASP apresenta a mostra Envolvimentos, de Wanda Pimentel. Estão expostos cerca de 30 pinturas da série homônima, dos anos 1968 e 1970, em que fundos coloridos confundem-se com fragmentadas figuras em primeiro plano de objetos ou corpos femininos. A artista trata da emancipação da mulher, questionando seu lugar em meio ao consumo de massa. A exposição faz parte das programações dedicadas a artistas mulheres no acervo do museu e conta, também, com uma palestra de Tomie Ohtake em 3 de junho.

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.