20 anos com 20 artistas

Museu Vale, no Espírito Santo, celebra 20 anos com exposição coletiva e lançamento de livro sobre sua história

Da Redação
Imagens da série Urbanorâmicas, de Gabriel Borem (Fotos: Divulgação)

Museu Vale comemora 20 anos de existência com a exposição coletiva 20/20. O título faz um trocadilho com o aniversário da instituição e com a quantidade de artistas apresentados. Com curadoria de Ronaldo Barbosa, diretor do museu desde sua inauguração, e Neuza Mendes, curadora institucional, a exposição reúne 75 trabalhos de diferentes linguagens como bordados, fotografias, gravuras, instalações e pinturas.

Todos os 20 artistas representados nasceram ou vivem no Espírito Santo. Os curadores selecionaram nomes após um ano de conversas, visitas e acompanhamento em ateliês. Entre eles estão Fredone Fone, que faz intervenção na fachada do galpão de exposições, e Rafael Pagatini, com o trabalho Retrato Oficial (2017), em que usa pregos para formar retratos dos cinco presidentes militares do Brasil a partir de detalhes de suas bocas.

Retrato Oficial (2017) de Rafael Pagatini

 

Administrado pela Fundação Vale, o Museu localiza-se em uma antiga estação ferroviária em uma área portuária no município de Vila Velha, Espírito Santo. Abriu as portas em 1998 e, além de realizar exibições de arte, tem como objetivo preservar e difundir registros sobre a história da construção da Estrada de Ferro Vitória a Minas. O assunto inclusive é tema do livro Museu Vale 20 Anos, que será lançado no dia de abertura da exposição, 30/10, e distribuído de forma gratuita para bibliotecas públicas do Brasil.

Serviço
20/20
De 30/10/2018 a 25/02/2019
Museu Vale
Antiga Estação Pedro Nolasco, s/n
Argolas – Vila Velha, Espírito Santo
museuvale.com

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.