Lucia Koch está entre finalistas do Jameel Prize

Vinculado ao Victoria and Albert Museum, prêmio é dedicado a artistas que exploram questões ligadas à tradição islâmica

Publicado em: 20/01/2016

Categoria: Da Hora, Mercado de Arte

Mostruário (acrílico-espelho) (2012) da série Materiais de Construção (Cortesia Galeria Nara Roesler e Lucia Koch / Foto: Everton Ballardin)

O Victoria and Albert Museum divulgou a lista com os 11 finalistas do prêmio Jameel Prizel, que a cada dois anos seleciona um artista para receber 25 mil libras e participar de uma exposição coletiva. Entre os selecionados desta edição está a brasileira Lucia Koch, que foi descrita pelo site da instituição como uma artista que “cria intervenções arquitetônicas, cobrindo fachadas, claraboias e janelas com materiais translúcidos e filtros, investigando questões de luz e espacialidade”.

O prêmio é dedicado a artistas que exploram questões ligadas à tradição islâmica através da arte, artesanato e design contemporâneo, e tem como objetivo promover “um debate mais amplo sobre a cultura islâmica e seu papel hoje”. A brasileira foi indicada por causa de seus trabalhos sobre padrões de azulejos e muxarabi em construções brasileiras do século 16, feitas por portugueses que trouxeram uma herança visual de origem árabe.

Além de Koch, a lista traz ainda David Chalmers Alesworth, Rasheed Araeen, Lara Assouad, CANAN, Cevdet Erek, Sahand Hesamiyan, Ghulam Mohammad, Shahpour Pouyan, Wael Shawky e Bahia Shehab. A exposição com os finalistas acontece a partir do dia 8 de junho no Pera Museum, em Instambul, na Turquia. É a primeira vez que a mostra inaugural do prêmio acontece fora das dependências do museu inglês. Após o período expositivo em solo turco, a exposição segue para o V&A.

O vencedor do Jameel Prize 4 será anunciado no dia 7 de junho.

Tags: , , , ,

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.