José Oiticica Filho inaugura exposição na Galeria Raquel Arnaud

Mostra apresenta fotografias e pinturas realizadas entre os anos 1950 e 1960

Publicado em: 17/02/2016

Categoria: Agenda

Para abrir o calendário de 2016, a Galeria Raquel Arnaud apresenta uma grande exposição dedicada ao fotógrafo, pintor, entomologista e professor José Oiticica Filho (Rio de Janeiro, 1906, Idem, 1964). Com curadoria de Ricardo Sardenberg e Cesar Oiticica Filho, a mostra relembra e celebra uma das principais figuras da moderna fotografia brasileira, que ainda não recebeu a devida atenção que merece.

No primeiro andar serão exibidas aproximadamente 60 fotografias das décadas de 1950 e 1960, período em que o artista realizou experimentos no campo da fotografia construtiva e da abstração geométrica. Segundo a curadoria, foi nesse período que JOF realizou “suas experiências estéticas mais radicais e de certa forma, se não foi um precursor, foi certamente um investigador poderoso das possibilidades abstrativas e construtivistas que dominaram o meio artístico à época”.

O público poderá conferir uma pequena amostra de como o artista construía no laboratório diversas versões de uma mesma imagem até chegar ao resultado final. Esses estudos valorizavam o papel do trabalho técnico em laboratório em relação à criação através do aparelho fotográfico. Interessava a JOF explorar as inúmeras possibilidades de criação a partir das cópias que produzia. “Com fotos originais ou reutilizando imagens antigas, JOF solarizava, queimava, recortava, pintava negativos, re-fotografava matrizes em sucessivas construções que às vezes chegavam a oito versões antes de alcançar a imagem final”, destacam os curadores.

Já no segundo piso estarão algumas pinturas de JOF das mesmas décadas de 1950 e 1960, exibidas ao lado de obras do seu filho Hélio Oiticica e do artista visual Ivan Serpa, o que evidencia, segundo os curadores, como a obra de José Oiticica Filho dialogava com as novas radicalizações estéticas de seu tempo.

“Por meio desta exposição, espera-se demonstrar que sem as amarras dos dogmas estéticos que dominavam as discussões da época, o artista, por meio da fotografia, contribuiu de forma profunda para a renovação e experimentação que tomava conta do meio artístico”, conclui Ricardo Sardenberg.
Serviço
Galeria Raquel Arnaud
Rua Fidalga, 125, Vila Madalena, São Paulo
De 18 de fevereiro a 26 de março
Segunda a sexta, das 10h às 19h; sábado, das 12h às 16h

Tags: , , ,

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.