Paraibano Martinho Patrício ganha exposição na Galeria Superfície

Com inauguração marcada para 25 de fevereiro, individual é a primeira do artista na capital paulista

Publicado em: 19/02/2016

Categoria: Agenda

A Galeria Superfície apresenta a primeira exposição individual do artista Martinho Patrício (João Pessoa, Brasil, 1964) em São Paulo. Com uma obra peculiar – geralmente em tecido –, Patrício desenvolve conceitos ligados ao tempo, à religiosidade, ao sagrado e ao profano, à morte, à deformação dos objetos de culto e dos ritos. Ao mesmo tempo, lida com questões relacionadas ao imaginário popular, contrapondo texturas de materiais rústicos ligados às tradições do Nordeste de maneira a estabelecer diálogos entre eles.

A utilização do tecido como suporte dos trabalhos se ancora em referências fortes do cotidiano do artista, desde cedo cercado por um repertório variado de formas litúrgicas e lúdicas feitas de engenho e pano. Embora estejam próximas as formas construtivas cultas, essas outras formas dos trabalhos de Martinho não são fixas ou rijas, cedendo ao sopro do vento e à proximidade do corpo humano. O procedimento proposto pelo artista alia seu interesse pela forma (até então conseguida por tecidos, fitas, fuxicos, rendas e suas cerziduras) à espontaneidade de configuração de um jogo como o de búzios.

O artista participou, em 2006, da 27a. Bienal de São Paulo: Como Viver Junto, apresentando uma série de pequenos trabalhos (Sem Título, 2002-2006), feitos em gorgorão e renda, e instalação “Brincar com Lygia” (2005). Na galeria Martinho vai apresentar o projeto inédito “Me Molde”, e outras obras importantes que pontuam a carreira do artista, como os Rosários e os desenhos da série Expansão, que fazem parte da coleção do MAM/SP.

Serviço
Galeria Superfície
Rua Oscar Freire, 240, Jardins, São Paulo
De 25 de fevereiro a 26 de março
De terça à sexta das 10h às 19h; sábado das 11h às 17h
Tel.: (11) 3062 3576

 

Tags: , , ,

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.