A lista de Marta Suplicy

Redação

Publicado em: 11/04/2014

Categoria: Especial Estatuto de Museus, Mercado de Arte

Conselho Consultivo do Patrimônio Museológico tomou posse hoje em Brasília

Oswaldo_

Legenda: Angelo Oswaldo de Araújo Santos, presidente do Instituto Brasileiro de Museus, após o debate no MAM (foto: Denise Andrade)

No dia 17 de Fevereiro, durante o evento sobre o estatuto de museus, realizado pela revista seLecT no auditório principal do Museu de Arte Moderna de São Paulo, Angelo Oswaldo de Araújo Santos, presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), revelou em primeira mão os nomes de alguns membros do Conselho Consultivo do Patrimônio Museológico. 

Hoje, em Brasília, aconteceu oficialmente a posse dos membros no auditório do edifício-sede do instituto. Os treze representantes da sociedade civil com notório conhecimento nos campos de atuação do Ibram são, a saber: Angela Gutierrez, Antônio Carlos Motta de Lima, Fábio Luiz Pereira de Magalhães, Gaudêncio Fidélis, João Cândido Portinari, João Maurício Ottoni Wanderley de Araujo Pinho, José Olympio Pereira, Leonel Kaz, Marcelo Mattos Araújo, Maria Célia Moura Santos, Modesto Souza Barros Carvalhosa, Paulo Herkenhoff e Ronaldo Barbosa. Todos foram escolhidos pela ministra da Cultura, Marta Suplicy, e terão a incumbência, até 2018, de definir bens culturais e coleções que deverão ser declarados de interesse público, além de conferir ao Ibram direito de preferência em caso de venda.

Integram a lista oito representantes, e respectivos suplentes, de cada uma das seguintes entidades: Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus (Icom), Associação Brasileira de Museologia (ABM), Conselho Federal de Museologia (Cofem), Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Fundação Cultural Palmares, Fundação Nacional do Índio (Funai), Fundação Nacional de Artes (Funarte) e Comitê Brasileiro de História da Arte (CBHA).

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.