Abre alas

Com curadoria de Adriana Varejão, André Sheik e Paula Borghi, a tradicional coletiva na galeria A Gentil Carioca, no Rio, reúne jovens talentos

Publicado em: 04/02/2016

Categoria: Agenda

Tags: , , , ,

Pássaros, de Guilherme Ginane (Foto: Divulgação)

Em clima de carnaval, a conhecida coletiva Abre alas, realizada pela galeria A Gentil Carioca, no Rio de Janeiro, chegou à 12ª edição. Inaugurada no último dia 30 de janeiro, com direito a concurso de fantasia, desfile e bambolezaço, a exposição apresenta trabalhos de 20 artistas selecionados via edital – que contabilizou mais de 500 inscritos.

Os escolhidos foram Alice Ricci, Aline Motta, André Burian, Dani Spadotto, Diogo Miranda, Dudu Quintanilha, Florencia Caiazza, Gokula Stoffel, Grupo Indigestão, Guilherme Ginane, Janaína Miranda, Jardineiro André Feliciano, Leandro Machado, Luisa Brandelli, Malvina Sammarone, Renato Custodio, Simone Cupello, Tchelo, Victor Mattina e Yornel Martinez.

“Apresentamos o Abre Alas 12, com artistas apaixonantes, que trabalham dentro de um viés de experimentação e de busca por uma voz própria. Artistas que fazem isso de maneira encantadora, séria e consistente”, diz o texto assinado pelo trio de curadores. “E o que pode parecer uma escolha romântica, de obras que aparentam não dialogar entre si, é um conjunto que representa o espírito de um tempo; do agora. Claro que é um dos recortes possíveis, dentro apenas das propostas que nos foram enviadas. Fomos guiados pelo envolvimento que tivemos com os trabalhos selecionados, pela vontade de vê-los ao vivo e de poder compartilhá-los”, explicam.

Serviço
Abre Alas 12
Até 19 de março
A Gentil Carioca
Rua Gonçalves Lêdo, 11 e 17 sobrado Centro, Rio de Janeiro
Te.: (21) 2222-1651
De segunda à sexta, das 12h às 19h; sábados com agendamento.

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.