Agenda do fim do mundo (14 a 21/4/2021)

Museo de la Democracia; Curtaflix; Cinefantasy; Brincadeiras Mehinako; Malak; Xingu: Terra Marcada; Festival Serrote; Shannon Te Ao; rec.tyty

Da redação

Publicado em: 14/04/2021

Categoria: Agenda, Destaque

Frame de Rodson (ou Onde o Sol Não Tem Noite), de Cleyton Xavier, Clara Chroma e Orlok Sombra (Foto: Divulgação)

“A língua alemã é a única a dispor de uma palavra para o riso decorrente do sofrimento alheio: Schadenfreude. […] Já Bolsonaro, é difícil não flagrá-lo rindo ao tratar de qualquer assunto, até mesmo da dor alheia — ou principalmente nesses casos.”
Tiago Ferro em Como na ditadura, nem sempre é possível se despedir de nossos mortos na pandemia

FESTIVAIS
Cinefantasy – Festival Internacional de Cinema Fantástico
Realizado entre 16 e 29/4, o projeto exibe mais de 150 filmes de 70 países. Esta é a 11ª edição do evento que conta com mostras competitivas, apresentações de longas, curtas, documentários e ficções. Uma programação de falas e cursos complementa a mostra, que prevê homenagem aos 80 anos de Neville de Almeida, atividade de formação com o diretor argentino Hermán Moyano e conversa com o produtor Rodrigo Teixeira. Destaque para as mostras Mulheres Fantásticas e Fantástico Black Power. Confira a programação completa no site. 

Frame de curta de Isaka Huni Kuin (Foto: Divulgação)

Rec.tyty, festival de artes indígenas
O nome do projeto parte da sigla rec, em menção tanto ao verbo recordar como à ação de filmar (record, em inglês), e da palavra guarani tyty, que significa palpitar. O festival promove o encontro on-line entre artistas visuais, fotógrafos, cineastas, músicos e pensadores. Idealizado pelo Instituto Maracá e com conselho curatorial formado por Ailton Krenak, Cristine Takuá, Carlos Papá, Naine Terena e Sandra Benites, o rec.tyty lida com uma variedade de linguagens e formatos, como oficinas, apresentações e debates, para manter vivas as heranças culturais indígenas no presente. De 17 a 25/4.

Frame de Nelson Cavaquinho, de Leon Hirszman (Foto: Divulgação)

Curtaflix
Até 17/4, mais de 290 títulos de diretores como Kleber Mendonça Filho, Leon Hirszman, Karen Akerman, Humberto Mauro, Eliza Capai e Kiko Goifman estão disponíveis em mais de 60 sessões. Com curadoria de 21 especialistas em cinema, alguns dos curtas selecionados para o projeto seguem abertos ao longo do ano. Atividade gratuita. 

Wlamyra Albuquerque (Foto: Adilton Venegeroles)

Serrote
O Instituto Moreira Salles transmite, de 15 a 17/4, via Youtube e Facebook, uma série de debates sobre assuntos como políticas identitárias e a memória da ditadura militar. Outro tema que vale destacar é um paralelo entre a gripe espanhola no século 20 e os impactos da pandemia do coronavírus no contexto atual, promovido pela historiadora Heloisa Starling e a professora de literatura Susanne Klengel. Entre os participantes, estão a jornalista americana Isabel Wilkerson, o cartunista Claudius Ceccon e a historiadora Wlamyra Albuquerque. O evento marca o lançamento da revista Serrote #37. 

Borbagato, intervenção do coletivo Coletores (Foto: Divulgação)

ImageCon
Misturando projeções nas ruas de São Paulo e uma conferência on-line sobre os impactos da vida digital, o projeto reúne artistas, fotógrafos e pensadores. De 16 a 18/4 serão realizadas projeções dos coletivos Barra Funda e Coletores e de artistas como Koral Alvarenga, Pavuna Kid e Cia Armárias. Entre 23 e 25/4, a conferência reúne nomes como Giselle Beiguelman, Marcia Tiburi, Miguel Chikaoka e João Wainer para entrevistas, palestras e debates. 

Museo de la Democracia (2020), de Marcela Moraga (Foto: Divulgação)

EXPOSIÇÃO
Museo de la Democracia
De 17/4 a 13/6, o neue Gesellschaft für bildende Kunst, em Berlim, apresenta uma coletiva que discute as dependências políticas, econômicas e discursivas da América Latina em relação ao Norte. Com intensa programação on-line de visitas guiadas, debates e vídeos, o projeto conta com a participação de nomes como Doris Salcedo, Maria Thereza Alves e Daniela Ortíz, entre muitos outros artistas, teóricos e atores. Concebido como uma instituição fictícia, o museu tem um comitê curatorial formando por Valeria Fahrenkrog, Daniela Labra, Teobaldo Lagos Preller, Marcela Moraga e Paz Ponce Pérez-Bustamante.

Sariruá após a Festa do Javari (1975), de Maureen Bisilliat (Foto: Acervo Instituto Moreira Salles)

PODCAST
Xingu: Terra Marcada
O Instituto Moreira Salles lança podcast sobre a história e os conflitos do Parque Indígena do Xingu. Ao longo de cinco episódios, há entrevistas com lideranças indígenas e pesquisadores sobre o assunto, como os líderes xinguanos Tapi Yawalapiti e Ianukula Kaiabi Suiá, os antropólogos Carlos Fausto e Olympio Serra, a fotógrafa Maureen Bisilliat e a curadora Naine Terena. A concepção, a apresentação e o roteiro são assinados por Guilherme Freitas, editor-assistente da revista serrote. Disponível a partir de 14/4, na Rádio Batuta, no Spotify e na Apple Podcasts.

Kaleb Zdruicoski, em Malak (Foto: Taizi Meireles)

TEATRO
Malak: Um Outro Mundo é Possível, Tempo de Sonhos
Em 16/4, às 20h, a diretora Renata Flores apresenta peça on-line que discute o autismo misturando elementos do teatro, da música e da dança. O roteiro narra a a história de um menino autista que não consegue socializar com seu grupo do circo e decide se arriscar em busca de novas aventuras. No elenco, André Vicente, Arthur Santos, Carla Patrícia da Silva, Consuelo Vallandro, Dulce Maza, entre outros. 

Frame do filme Brincadeiras Mehinako (Foto: Divulgação)

FILME
Brincadeiras Mehinako 
Com direção de Aiuruá Meinako, o curta-metragem explora os elementos lúdicos da aldeia Utawana, da etnia Mehikano, no Xingu, onde as crianças que vivem na comunidade aprendem a brincar como seus ancestrais, nadando no rio ou com o uso de arco e flecha. O filme, que é falado em língua nativa do tronco Aruak – com legendas em português e tradução para Libras – tem lançamento 15/4, às 10h30, no canal do projeto no Youtube, com uma roda de conversa entre Aiuruá Meinako, Delvair Montagner e Elza Ramalho, codiretores do projeto. 

Frame de My Life As a Tunnel (2018), de Shannon Te Ao (Foto: Reprodução)

DEBATE
In Conversation: Artist Shannon Te Ao & Southern Stars director Gabriela Salgado
Em 15/4, às 16h (horário de Brasília), a plataforma SOUTH SOUTH promove uma conversa que busca introduzir a pesquisa do artista, curador, escritor e professor australiano. Shannon Te Ao é interessado em trazer os paradigmas maori, povo nativo da Nova Zelândia, para o vídeo e a performance, buscando outros modelos epistemológicos e expositivos. Debate transmitido via Zoom. Necessário inscrição prévia. 

Flyer do workshop Gif: Imagem e Movimento (Foto: Divulgação)

OFICINA
Gif: Imagem e movimento
Oferecido por Nina Lins, designer da seLecT, o workshop busca introduzir diferentes formas de produzir e exportar nesse formato. Realizado pela plataforma Bica, a oficina será realizada em 21/4, às 14h, via Zoom.

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.