Agenda Para Adiar o Fim do Mundo (19 a 26/10)

Live sobre o Projeto Respiração, itinerância da 34a Bienal no Rio de Janeiro e Ocupação Dias Gomes no IC são destaques da semana

Da Redação

Publicado em: 19/10/2022

Categoria: Agenda

Menina (2018), de Sonia Guggisberg [Foto: Divulgação]

Silêncio, de Sonia Guggisberg
Amanhã, 20/10, abre, no Centro Cultural MariAntonia, a mostra, da artista suíça-brasileira, com pesquisa de mais de 6 anos sobre refúgio e trânsitos humanos. A individual reúne fotografias em diferentes suportes, vídeos e registros sonoros captados durante suas viagens pela Grécia, Malta e Lampedusa, na Itália, locais onde se concentram o maior trânsito de pessoas em fuga rumo à Europa. “São pessoas sem passado e sem futuro, que vivem totalmente à margem, sem saber o que irá acontecer no próximo minuto”, conta Guggisberg, que já apresentou parte desta exposição como artista convidada, no Festival Internacional de Fotografia, Paraty em Foco e em Atenas, na Grécia. A mostra propõe uma análise sobre as identidades em trânsito que são obrigadas a se redesenhar a partir da mudança forçada de seus países.

Frame do vídeo Engadação [Foto: Divulgação]

ABERTURAS
Roda Pé
Às vésperas das eleições presidenciais, a mostra de curta duração, no Massapê Projetos, em São Paulo, une arte e música em projeto que revela um olhar crítico sobre a atual política brasileira. Com participação  de 15 artistas, o projeto, realizado online em 2021, apresenta 4 vídeos que propõe uma reflexão sobre o mal estar político, econômico, cultural e social do Brasil nos últimos dois anos, abordando com ironia e sagacidade algumas possíveis leituras de tempos tão sombrios. Curadoria de Paula Borghi. De 22 a 29/10.

Sem título (2022), de Manoel Veiga [Foto: Divulgação]

Cartografias de Mundos Inexistentes, de Manoel Veiga
O MAC USP apresenta, a partir deste sábado, 22/10, a exposição com 41 trabalhos, entre pinturas e fotografias, realizados pelo artista nos últimos 15 anos. Com formação em Engenharia Eletrônica e experiência como pesquisador em laboratórios de física, Veiga dedicou-se aos estudos das técnicas de grandes nomes da história da pintura, como Holbein, Caravaggio e Ingres, para transformar sua própria pintura em um campo de experimentação sobre a dinâmica dos fluídos. Veiga trabalha com a tela deitada sobre o chão e seu principal instrumento é um borrifador de água que direciona a tinta de forma indireta. “Suas pinturas registram um processo de negociação com fenômenos que estão por toda parte: gravidade, difusão e capilaridade. Ao invés de representar a natureza, o artista trabalha com ela para imaginar novas configurações de espaço e tempo”, escreve a curadora Heloisa Espada.

Vista de Kahtiri Ēõrõ – Espelho da Vida (2020), de Daiara Tukano [Foto: Divulgação]

​​Itinerância da 34ª Bienal de São Paulo
Faz Escuro Mas Eu Canto chega ao Rio de Janeiro neste sábado, 22/10, com obras de 13 artistas de 8 países, no Museu de Arte do Rio. Na abertura, às 11h30, a artista Daiara Tukano realiza uma performance de ativação de sua obra Kahtiri Ēõrõ – Espelho da Vida (2020), inspirada nos mantos Tupinambá. A exposição é organizada a partir do enunciado Os retratos de Frederick Douglass e é composta por trabalhos de Anna-Bella Papp, Arjan Martins, Daiara Tukano, Daniel de Paula, Deana Lawson, Frida Orupabo, Gala Porras-Kim, Jaider Esbell, Joan Jonas, Noa Eshkol, Paulo Kapela, Seba Calfuqueo e Tony Cokes. R$ 20,00.

Cena da O Pagador de Promessas, minissérie realizada em 1988 pela Rede Globo, com José Mayer no papel de Zé do Burro e Denise Milfont como Rosa [Foto: Divulgação]

EM CARTAZ
Ocupação Dias Gomes
Até 15/1/2022, o Itaú Cultural apresenta a mostra com cerca de 170 itens, divididos em oito núcleos que narram a vida, produção e criação do dramaturgo baiano. Em uma parceria do IC com a Rede Globo, estão em cartaz 50 fotos e 10 vídeos com depoimentos de artistas, entrevistas, trechos de novelas, textos de pesquisa, de ópera, de peças, roteiros e adaptações, bilhetes e cartas de amigos, como Jorge Amado e Ferreira Gullar, mensagens de telespectadores sugerindo o destino dos personagens da telenovela do momento e pôsteres. A pesquisa, concepção, curadoria e realização é da equipe do Itaú Cultural, composta pelos Núcleos de Artes Cênicas, Música e Literatura e de Audiovisual. Entrada gratuita.

Anteprojeto Parque Ibirapuera (não executado) [Foto: Acervo Instituto Burle Marx]

Paisagem Construída: São Paulo e Burle Marx
Até 5/2/2022, o Centro Cultural Fiesp apresenta a exposição, com curadoria de Guilherme Wisnik, Helena Severo e Isabela Ono. Dividida em três eixos principais, a mostra conta com acervo do Instituto Burle Marx e dá ênfase a projetos de ecologia urbana pensados por Roberto Burle Marx na cidade de São Paulo, além de propostas inéditas, não executadas, para espaços públicos da cidade, como o Parque Trianon, o Parque Ibirapuera, o Vale do Anhangabaú e a Praça da Sé. A mostra ressalta o ativismo ambiental e pioneirismo na defesa da preservação dos biomas sul-americanos com o pensamento de projetos sobre cidades verdes. Entrada gratuita.

Frame de Sociedade do Medo, de Adriana L. Dutra [Foto: Divulgação]

CINEMA
Sociedade do Medo
O novo documentário de Adriana L. Dutra estreia nesta quinta, 20/10, nos cinemas. O filme é uma reflexão sobre a epidemia do medo que assola a humanidade, potencializada por um sistema que, historicamente, manipula as massas a partir da propagação do pânico e da insegurança. Assim como em seus dois primeiros longas (Fumando Espero (2009) e Quanto Tempo o Tempo Tem (2015), Dutra compartilha com o espectador questões existenciais, com o objetivo de pensar assuntos sensíveis e universais que afetam o homem contemporâneo. O longa-metragem conta com entrevista com especialistas de diferentes realidades socioculturais: os professores David Carrol e Jason Stanley, o historiador Marcelo Jasmin, o padre Júlio Lancellotti, o escritor e filósofo indígena Ailton Krenak, a jornalista Flávia Oliveira, a pesquisadora Ivana Bentes, entre outros. 

Indígenas em Foco (2016), de Arissana Pataxóa [Foto: Divulgação/coleção Bruno Pacheco]

ONLINE
Um Outro Brasil Através das Artes, com Arissana Pataxóa
Neste sábado, 22/10, às 14h, o MASP transmite, pelo seu canal do YouTube, palestra com Arissana Pataxóa, propondo refletir e fazer frente a uma ideia de nação construída sob premissas racistas, representada e cristalizada pelas produções artísticas brasileiras ao longo dos séculos. Com este objetivo, a palestrante traz um repertório de obras de artistas indígenas, que atualmente têm colaborado para uma discussão antirracista junto ao projeto Culturas de Antirracismo na América Latina (CARLA), uma pesquisa em parceria com Universidade Federal da Bahia e a Universidade de Manchester. 

Live Devir Indígena, 24/10, às 20h

LIVE
Devir Indígena
Na próxima segunda, 24/10, às 20h, Marcio Doctors e Paula Alzugaray, curadores da mostra, em cartaz na Casa Museu Eva Klabin, conversam com os artistas Denilson Baniwa e Gustavo Caboco sobre a 25a edição do Projeto Respiração. Com transmissão gratuita pelo canal de YouTube do museu, o bate-bate se desenvolve em torno do Projeto Respiração, os caminhos da arte indígena contemporânea e o processo curatorial e artístico da intervenção Devir Indígena. No dia 10/11, acontece o lançamento do catálogo, na Casa Museu Eva Klabin. Não perca!

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.