Arte no Fórum Social Mundial das Migrações

Música e lambe-lambes reivindicando direitos fazem parte do projeto de conscientização artística dos migrantes

Ana Abril

Publicado em: 05/07/2016

Categoria: Da Hora, Destaque, Notícias Quentes

Tags: , , , , ,

Lambe-lambes do Fórum Social Mundial das Migrações 2016 (Realização: Visto Permanente, Ocupeacidade e GRIST com o Fórum Social Mundial das Migrações)

O maior evento do mundo sobre migrações e seus liames, o Fórum Social Mundial das Migrações (FSMM), chega em São Paulo entre os dias 7 e 10/7. Um pouco mais tarde, em agosto, a edição 31 da revista seLecT, dedicada às Migrações, chega as bancas. Para iniciar o tema, seLecT selecionou dois momentos em que o FSMM 2016 se relaciona com a arte. O primeiro, é a criação e produção de uma canção e de um clipe do evento. Meu Lugar é uma canção realizada por artistas brasileiros e imigrantes, de forma colaborativa, cuja principal intenção é dar voz aos migrantes. Cantada em português, espanhol, árabe e lingala – idioma derivado do bantu e falado no nordeste da República Democrática do Congo- a música foi gravada pelo Coletivo Digital, enquanto o clipe foi filmado pelo Visto Permanente, ambos de forma gratuita. Confira:

Além da música, o FSMM 2016 decidiu ocupar a cidade com lambe-lambes que anunciam o evento e ressaltam a importância do respeito e da consideração com o migrante. Nenhum Direito a Menos para Imigrantes; A Terra é de Todos; Estrangeiro é só uma Palavra e Aqui Vivo, Aqui Voto são algumas das frases que acompanham os cartazes. A iniciativa pretende ocupar o espaço público e conscientizar o cidadão comum sobre a xenofobia e o racismo, além do pertencimento do migrante à terra onde está vivendo, independentemente da sua origem. Confira os cartazes espalhados pela cidade de São Paulo:

  • Cartazes espalhados pela cidade de São Paulo (Realização: Visto Permanente, Ocupeacidade e GRIST com o Fórum Social Mundial das Migrações)
  • Lambe-lambes do Fórum Social Mundial das Migrações 2016 (Realização: Visto Permanente, Ocupeacidade e GRIST com o Fórum Social Mundial das Migrações)

 

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.