#aúltimafoto

Partindo da obra de Rosângela Rennó, lançamos campanha para arquivar a última foto feita em eventos culturais antes da quarentena

Da redação

Publicado em: 29/05/2020

Categoria: Da Hora, Destaque

#aúltimafoto de @paula.alzug, no dia 8/3/2020. Contos Imorais - Parte 1: Casa Mãe, de Phia Menard.

Em 2006, com a ideia de abordar o processo de desaparecimento da fotografia analógica e sua substituição pela imagem digital, Rosângela Rennó convidou 42 fotógrafos e pediu que cada um escolhesse uma das câmeras fotográficas do acervo pessoal da artista para produzir imagens do Cristo Redentor. Após os convidados concluírem o processo, ela escolheu a melhor imagem de cada um deles, lacrou a lente das câmeras com tinta e expôs as máquinas ao lado de suas “últimas fotos”. 

A Última Foto, Pedro Vasquez, Fed 2 (2006), de Rosângela Rennó (Foto: Reprodução)

Tendo esta obra como ponto de partida, a seLecT convida você a compartilhar a sua última fotografia em uma exposição de arte ou evento cultural. Diferentemente de Rennó, que queria discutir a mudança de paradigmas na criação fotográfica, nossa proposta é relembrar o momento em que podíamos ver arte de perto, diante desse período em que nossa interação com a produção artística se tornou exclusivamente virtual. Para participar, poste a imagem com as hashtags #aúltimafoto e #aúltimafotonaselect e marque @revistaselect para que a nossa redação possa acompanhar. Sua imagem pode aparecer aqui e em todos os canais da seLecT.

  • #aúltimafoto de @leandromunizdesousa, no dia 12/3/2020. Julio Villani na Galeria Raquel Arnaud
  • #aúltimafoto de @nina.rahe, no dia 17/3/2020. Performance Cru, de Paula Garcia.
  • #aúltimafoto de @gbeiguelman, no dia 12/3/2020. Sandra Cinto no Itaú Cultural

Tags: , , , , , , ,

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.