Bienal de SP anuncia artistas comissionados

Lista do curador Gabriel Pérez-Barreiro mistura arte conceitual, política, abstrata, figurativa e construtiva

Márion Strecker

Publicado em: 20/03/2018

Categoria: Da Hora, Destaque, Notícias Quentes

Luz Divina Da Alma (1996), do artista paraguaio Feliciano Centurión (Foto: Rick Hall)

A Fundação Bienal de São Paulo anunciou hoje o nome dos artistas comissionados para criar obras para a 33ª Bienal, que será aberta em setembro. São eles o argentino Alejandro Corujeira e os brasileiros Bruno Moreschi, Denise Milan, Luiza Crosman, Maria Laet, Nelson Felix, Tamar Guimarães e Vânia Mignone. Em busca da diversidade e procurando fugir de aproximações temáticas, o curador Gabriel Pérez-Barreiro mistura arte conceitual, política, abstrata, figurativa e construtiva.

Ponto Final (1993), de Lucia Nogueira (Foto: Lucia Nogueira)

Além dos artistas comissionados, a Bienal anunciou também a participação de Siron Franco e de três artistas latino-americanos já falecidos: o guatemalteco Aníbal López, o paraguaio Feliciano Centurión e a brasileira Lucia Nogueira. De Siron virá a série de pinturas Césio/Rua 57, em que aborda a catástrofe ambiental decorrente do acidente radioativo em Goiânia em 1987, no Bairro Popular, onde ele nasceu e se criou.

Aníbal López (1964-2014), também conhecido pelo número de sua carteira de identidade, A-153167, foi um artista de performance, vídeo e intervenções urbanas que abordou assuntos como disputas de fronteira, culturas indígenas, abusos militares e do mercado de arte. A Bienal pretende mostrar vídeo e fotografias de ações efêmeras de protesto à objetificação e fetichização da arte.

Radicado em Buenos Aires, Feliciano Centurión (1962-1996), descendente de bordadeiras, trabalhou com tecidos, bordados, crochês e elementos da sua história pessoal, interrompida em consequência da Aids quando ele tinha 34 anos. Da goiana Lucia Nogueira (1950-1998), que se radicou em Londres, virão esculturas e instalações.

À Vontade e o Outro (1989), de Lucia Nogueira (Foto: Lucia Nogueira)

 

Moreschi e Crosman devem mostrar criticamente “como a arte funciona, é exibida e justificada”, diz o curador. Tamar Guimarães e Maria Laet mostrarão novos vídeos. Vânia Mignone mostrará pinturas inéditas. De Nelson Felix podemos esperar uma nova instalação escultórica. Corujeira trará novas esculturas e pinturas, enquanto Milan mostrará novas esculturas e instalações com pedras e cristais.

O orçamento da 33ª Bienal de São Paulo é de R$ 26 milhões. Além dos nomes anunciados hoje, serão apresentados nas próximas semanas os convidados para as sete mostras coletivas que estão sendo concebidas pelos artistas-curadores convidados. São eles: Alejandro Cesarco (Uruguai), Antonio Ballester Moreno (Espanha), Claudia Fontes (Argentina), Mamma Andersson (Suécia), Wura-Natasha Ogunji (EUA), Sofia Borges e Waltercio Caldas (Brasil).

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.