Cabras marcadas

Nina Gazire

Publicado em: 15/11/2012

Categoria: media reader, o post do dia

Inauguramos a seção “Post do dia”: Site humorístico The Piauí Herald faz uma reflexão sobre as cabras e espinafres #chateados do país

602329_nicolebahlsintjpg

“Após se desencantar com os homens, Nicole Bahls anunciou relacionamento com uma cabra”

“SÃO PAULO- Atendo às demandas de vanguarda da novíssima mídia brasileira, um grupo de investidores anunciou a criação de um site de relacionamentos que permite o cadastro de cabras e espinafres. “A união inquebrantável de Chã, Patinho e Lagarto nos estimula e serve como exemplo de fidelidade para as novas gerações. Somos adeptos da inclusão e do cruzamento de todos os seres minerais, animais e vegetais”, explicou o roqueiro Serguei, homem forte por trás do projeto. 

O apelo pelo fim do preconceito contra cabras e espinafres ganhou o apoio de celebridades, artistas e ex-BBBs. Roberto Carlos gravou a canção Esse cabra sou eu ; Caetano Veloso espinafrou o acordo ortográfico pela enésima vez e Carolina Dickmann ficou de bode ao ser flagrada por um paparazzo. Fábio Junior pediu uma cabra em casamento e deixou-se fotografar em momento de rara ternura ao lado da parceira, enquanto degustava um suflê de espinafre na Ilha de Cabras. 

Essas atitudes provocaram repercussão internacional. A autora E.L.James anunciou uma edição limitada de 50 tons de cabra . Sempre alerta para solucinar problemas, o astro Popeye anunciou que vem ao Brasil em 2013. Na Itália, Silvio Berlusconi inclui a brincadeira da cabra-cega em suas festinhas de bunga-bunga.

Solidária, a TV Record anunciou que na próxima edição da A Fazenda as cabras também poderão receber votos dos telespectadores.”

Confira a “notícia” no site original

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.