Christian Marclay

Angélica de Moraes

Publicado em: 05/10/2011

Categoria: exposições on-line, Portfólio

Confira o portfólio do vencedor do Leão de Ouro na 54ª Bienal de Veneza

Select01-christian_marclay_the_clock_2010

Misturar e reaproveitar de modo criativo pedaços de criações alheias para fazer uma obra autoral é o que caracteriza o trabalho de Christian Marclay. Ele próprio é resultado de um sampleamento cultural: nascido em 1955, na Califórnia (EUA), de pais suíços, fez formação em artes em Genebra e Boston antes de se radicar em Nova York e, atualmente, passar parte do ano em Londres.Híbrido de artista visual e compositor, performer e DJ, ganhou o Leão de Ouro na 54ª Bienal de Veneza como melhor artista da mostra.

A obra que exibe, The Clock (O Relógio, 2010), é uma colagem magistral de filmes de outros autores. O roteiro segue os ponteiros de muitos relógios ao longo de 24 horas e centenas de filmes, protagonizando cenas em que o tempo é aliado ou inimigo da ação. O tempo na tela e o tempo no relógio do espectador são idênticos, jogando-o numa vertigem de causar inveja aos pioneiros surrealistas. A memória do cinema foi assaltada de modo sedutor. Marclay é quase um Ladrão de Casaca, filme de Hitchcock que também está em The Clock. Para executar o assalto, o artista comandou seis assistentes em uma pesquisa de frames que envolveu desde o cinema mudo até séries de televisão, passando por clássicos de Hollywood.

A junção criativa desses fragmentos deixa evidente que o artista definiu com precisão suíça o quequeria fazer e significar. Não há uso gratuito da imagem. Ela sempre está a serviço de uma ideia que costura a trama e gira, como os ponteiros, em torno de nossas angústias com esse instrumento de medição e danação do cotidiano. Estudante do Massachusetts College of Art (Boston), no fim dos anos 1970, ia muito mais a clubes noturnos de punk rock do que a galerias e museus. Suas maiores influências eram John Cage e a música concreta.Amigo de Laurie Anderson, subiu ao palco pela primeira vez como integrante de uma banda liderada por John Zorn, no clube The Chandelier em Nova York.

Visite o portfólio de Christian Marclay no nosso Flickr

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.