Clássicos transgressores

Mariel Zasso

Publicado em: 05/03/2013

Categoria: cinema, Da Hora

Mostra em Porto Alegre reúne filmes irreverentes da história do cinema nacional

Legenda: Cena de Os Cafajestes, com Jece Valadão e Norma Benguell, famosa por preceder o primeiro nu frontal do cinema brasileiro.

A Sala P. F. Gastal, em Porto Alegre, retoma sua programação a partir de hoje (5) com a mostra Clássicos Transgressores do Cinema Nacional. A seleção de filmes reúne realizadores que são lembrados pela irreverência, a originalidade e inventividade em suas obras.

A programação inclui 12 filmes, entre longas, médias e curtas-metragens, e é uma oportunidade rara para conhecer títulos pouco vistos como Superoutro, de Edgard Navarro, e Um Clássico, Dois em Casa, Nenhum Jogo Fora (1968), de Djalma Limongi Batista, considerado o primeiro filme a abordar abertamente a questão da homessexualidade no cinema brasileiro.

Grande obras marcantes da história do cinema brasileiro, como Os Cafajestes (1962), O Bandido da Luz Vermelha (1968) e Filme Demência (1986), também fazem parte do programa. Serão exibidos filmes dos diretores Rogério Sganzerla, Andrea Tonacci, Ozualdo Candeias, Carlos Reichenbach, André Luiz Oliveira, José Mojica Marins, Edgard Navarro, Ruy Guerra, Djalma Limongi Batista e Ivan Cardoso.

A Sala

Inaugurada em 25 de maio de 1999, a Sala P. F. Gastal, primeiro cinema da Secretaria Municipal da Cultura de Porto Alegre, logo encontraria sua vocação como um espaço permanente de divulgação do cinema brasileiro, das produções independentes, dos filmes clássicos, das cinematografias emergentes, do cinema europeu e latino-americano. Localizada no terceiro andar da Usina do Gasômetro, a Sala tem 118 lugares e funciona de terças a domingos. Inspirada pela figura do saudoso crítico de cinema e agitador cultural Paulo Fontoura Gastal, que lhe empresta o nome, tem como filosofia “resgatar o espírito da experiência cineclubista”.

Conheça a programação completa no site:

Sala P. F. Gastal

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.