Coleção seLecT Gênero será lançada na sexta na SP-Arte

Revista lança sua 1ª coleção de obras na SP-Arte, com fotografias de Aleta Valente, Dudu Quintanilha e Rosa Luz

Da Redação
Material Girl, trabalho da série @ex_miss_febem, de Aleta Valente

A seLecT vai lançar na SP-Arte 2018, que acontece de 11 a 15 de abril, a primeira coleção de obras de arte curada pela revista. A Coleção seLecT Gênero trará trabalhos fotográficos de três artistas brasileiros. São eles Aleta Valente, do Rio de Janeiro, Rosa Luz, de Gama, cidade-satélite de Brasília, e Dudu Quintanilha, paulista que vive em Frankfurt. Os três artistas participam também da edição 38 da revista, cujo tema central são questões de Gênero.

Aleta Valente (1986) é uma artista visual e performer feminista de Bangu, Rio de Janeiro. Ela ficou conhecida pelo personagem @ex_miss_febem, que incorporou em redes sociais como Instagram e Facebook. Depois de muita provocação, polêmica, denúncias e bloqueios, os perfis originais não estão mais ativos. Atualmente, é possível acompanhar as publicações de Aleta no Instagram pelo perfil @ex_miss_febem2.

O trabalho de Aleta Valente na Coleção seLecT Gênero chama-se Material Girl e mostra a artista em pose provocativa em cima de uma pilha de restos de demolição, desconstruindo a narrativa das fotos sensuais femininas exploradas na sociedade machista. Para ela, “gênero é uma construção social, um conjunto de normas que vão garantir ao macho a subserviência da fêmea”. Na seLecT 38 há um portfólio da artista, com outros trabalhos desenvolvidos ao longo de sua carreira.

Fabíola Dumont, Centro de Esportes Radicais, São Paulo, Terminal 10mg, Mexa (Setembro 2017), fotografia de Dudu Quintanilha

 

Dudu Quintanilha (1987) é um fotógrafo e artista multidisciplinar, nascido em Bauru e atualmente morando em Frankfurt. Trabalha também com vídeo, cinema e projetos relacionais. É co-fundador de um grupo chamado MEXA, de composição mutante, que desde 2015 utiliza táticas artísticas, como escritura e performance, para defender e promover o encontro da diversidade da população em situação de rua e vulnerabilidade na cidade de São Paulo. O MEXA fez um projeto especial para a edição 38 da seLecT.

O trabalho de Dudu Quintanilha incluído na Coleção seLecT Gênero é intitulado Fabíola Dumont, Centro de Esportes Radicais, São Paulo, Terminal 10mg, Mexa. Nessa foto de setembro de 2017, a transsexual e performer do grupo MEXA aparece na porta de um banheiro feminino. Quintanilha tem uma foto similar, em que Fabíola está na porta de um banheiro masculino, no mesmo centro esportivo. Uma montagem das duas fotos aparece como ilustração de texto do pensador transgênero Paul Beatriz Preciado na seLecT 38. O texto analisa como a arquitetura dos banheiros públicos opera como a mais discreta e efetiva das “tecnologias de gênero”.

E Se a Arte Fosse Travesti? (2016), obra de Rosa Luz que integra a Coleção seLecT Gênero

 

Rosa Luz (1995) é uma artista multimídia e performer. Ela mantém no Youtube o Barraco da Rosa. Mulher trans, negra e periférica, teve sua imagem destacada na capa da seLecT 38. A imagem inteira do trabalho intitulado E Se a Arte Fosse Travesti?, de 2016, faz parte da Coleção seLecT Gênero e esteve exposta também, de outra maneira, em mostra do Paço das Artes em São Paulo, no ano passado.

Rosa Luz fará uma performance de 30 minutos no lançamento da seLecT 38 no lounge térreo da SP-Arte na sexta-feira, dia 13, às 18h.

As fotografias da Coleção seLecT Gênero foram impressas em papel de algodão Felix Schoeller Smooth Rag, em tiragem limitada, e estarão à venda por preços entre R$ 1.000 e R$ 1.200 cada.

 

Serviço
Lançamento da Coleção seLecT Gênero
SP-Arte 2018
Pavilhão da Bienal, Térreo, Setor Editorial, Stand da seLecT
Av. Pedro Álvarez Cabral s/n – São Paulo, SP
13/4/2018 – 18h30
www.sp-arte.com

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.