Como causar uma péssima impressão em uma abertura de exposição

Da Redação seLecT

Publicado em: 05/08/2013

Categoria: media reader, o post do dia

No post do dia, saiba o que não fazer em uma vernissage

Naked-girls-museum-550x597

O site ArtBusiness é conhecido por fornecer  avaliações de arte, consultoria de negócios e serviços para artistas e colecionadores. E por que não dicas de etiqueta? Neste post irônico está uma lista de atitudes recomendadas… caso você queira causar uma péssima impressão! Nas duas listagens, uma para artistas, outra para o público em geral, há uma série de situações inconvenientes que, segundo o autor, foi totalmente inspirada na vida real. Selecionamos e traduzimos algumas e aqui você pode ler o post completo em inglês.

“Maus modos” para artistas:

* Sem pedir licença, saia distribuindo seu portifólio, cartões de visitas, planfetos de próximas exposições ao maior número possível de pessoas, especialmente para o artista e o galerista, e então… vá embora. Faça isso repetidamente em cada evento ou galeria que for.

* Quando ninguém estiver olhando, discretamente deixe seus cartões, portifólios e afins em vários locais dentro da galeria.

* Se você conhece o artista ou galerista, monopolize sua atenção pelo maior tempo que conseguir. Ignore o fato que o propósito do evento é fazer contatos e vender arte.

* Peça para o artista te apresentar o galerista.

* Saque seu celular e comece mostrar para todo mundo as imagens de sua obra mais recente.

“Maus modos” para todos:

* Aja como se estivesse em uma festa e ignore completamente tudo o que diz respeito ao artista, à arte e ao negócio de tocar uma galeria.

* Apresente-se ao artista e fale com ele o maior tempo possível, mesmo se você não tem intenção de comprar.

* Certifique-se de carregar uma mochila gigante nas costas.

* Leve seu cachorro.

* Toque nas obras.

* Fique bêbado. Ou melhor ainda: chegue bêbado.

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.