Como exportar e importar obras de arte

Projeto Latitude oferece programa gratuito de capacitação na Unibes, em São Paulo

Da Redação
Fachada da Unibes Cultural, próxima à av. Doutor Arnaldo, em São Paulo. Foto: Bruna Pett/ Creative Commons

Para quem estiver interessado em conhecer os procedimentos necessários para importação e exportação de obras de arte contemporânea, casos concretos serão expostos e discutidos num encontro na próxima quarta-feira (13/3/19), das 10h às 13h, na Unibes Cultural, em São Paulo. A entrada é gratuita e as inscrições podem ser feita por este link: bit.ly/2BVqs7H.

O encontro faz parte do programa de capacitação do Latitude – Platform for Brazilian Art Galleries Abroad, fruto de parceria entre a Associação Brasileira de Arte Contemporânea (Abact) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, a Apex-Brasil.

Criado em 2007, o Latitude visa criar oportunidades de negócios de arte no exterior e conta com a adesão de 50 galerias de arte do chamado mercado primário, que representa artistas em atividade. A série de capacitação do Latitude vai ocorrer de março a julho, com um encontro por mês.

O encontro desta quarta, que será mediado pela pesquisadora Ana Letícia Fialho, vai contar com a participação do advogado e despachante aduaneiro Victor Gomes, especializado em Direito Tributário e consultor jurídico de galerias, artistas, colecionadores, instituições e produtores culturais.

Também estará presente no encontro o cientista social Marcus Vinicius Benedeti, técnico do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), que atua na análise e autorização de saída de bens culturais do país, entre outros assuntos da esfera do órgão governamental.

 

Encontro temático sobre importação e exportação de obras de arte
13/3/19 das 10h às 13h
Unibes Cultural
Rua Oscar Freire, 2500, São Paulo, SP
Inscrições gratuitas: bit.ly/2BVqs7H

 

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.