CompartiArte

Evento chega a sua terceira edição e procura unir arte contemporânea em apoio a instituições sociais

Felipe Stoffa
Nelson Leirner - Cem Monas (Foto: Divulgação)

Angela Akagawa e Cleusa Garfinkel são muito bem conhecidas no cenário artístico brasileiro. Colecionadoras de peso, sempre dedicam espaço na agenda e no bolso para destinar algumas de suas aquisições à instituições museológicas. Não é a toa, portanto, que ambas estão a frente do evento CompartiArte, que chega em sua terceira edição e acontece no Centro Brasileiro Britânico (CBB).

Marcelo Aniello - Mangue (Foto: Divulgação)

Marcelo Aniello – Mangue (Foto: Divulgação)

O evento apresenta um amplo recorte de obras de diversos artistas de peso, fruto de negociações entre as organizadoras e alguns dos agentes do sistema, como próprios artistas, que emprestam seus trabalhos para a exposição, ou também galeristas. A mostra, que acontece de 17/8 até 19/8, além de garantir uma boa visita, destina todo o lucro gerado pelas vendas no local à entidades sociais. Nessa edição, as escolhidas foram a União Brasileiro-Israelita do Bem-Estar Social – Unibes e a ONG Share, Associação Beneficente Nossa Senhora Auxiliadora.

Dentre os 60 artistas e obras selecionadas, figuram no evento nomes como Albano Afonso, Caio Reisewitz, Cássio Vasconcelos, Cláudio Edinger, Dudi Maia Rosa, Estela Sokol, Fábio Miguez, Gisela Motta, José Bechara, Kátia Fiera, Laura Gorski, Luiz Solha, Mauro Piva, Nelson Félix, Paulo Pasta, Rodrigo Andrade, Sandra Cinto, Nelson Leirner e Sérgio Sister.

Thereza Salazar – Aventura dos Corpos V (Foto: Divulgação)

Serviço
CompartiArte
Centro Brasileiro Britânico
Rua Ferreira de Araújo, 741, Pinheiros, São Paulo
De 17/8 até 19/8
Quarta-feira, a partir das 19h; quinta e sexta-feira, das 10h às 19h

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.