Comunidade artística une-se contra a censura

Manifestação ocupa vão livre do MASP durante abertura da exposição Histórias da Sexualidade, em 19/10

Da redação
Artista Lenora de Barros convoca sociedade a visitar Histórias da Sexualidade no MASP (Foto: Cortesia da Artista)

A exposição Histórias da Sexualidade, proibida para menores de 18 anos, abre ao público no MASP sexta-feira, dia 20/10, com o objetivo de promover séria conversa sobre as mais diversas manifestações sexuais. No entanto, diante de uma onda de ataques conservadores a trabalhos de arte que lidam com temáticas similares, a comunidade artística de São Paulo decidiu unir-se contra a censura e realizar manifestação no vão livre do museu durante a abertura para convidados da mostra, em 19/10, quinta-feira. A concentração para o ato começa às 19h, enquanto o protesto está marcado para 20h.

O diretor presidente do MASP, Heitor Martins, pronunciou-se a respeito da abertura e chama a atenção para a atualidade da proposta curatorial da exposição, que vem sendo desenvolvida desde 2015, mencionando inclusive como recentes episódios tem provocado tremores em direitos individuais e na liberdade de expressão. Para Martins: “Não existem verdades absolutas. As fronteiras do que é moralmente aceitável deslocam-se a toda hora e no decorrer da história”. No entanto, afirma que não se pode abrir mão do respeito ao outro e do diálogo. “É preciso criar condições para que todos nós – cada um com suas crenças, práticas, orientações políticas e sexualidades – possamos viver de forma harmoniosa e escutando uns aos outros”, completa.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.