Do design industrial ao prazer oral

Mais de cem expositores nacionais e internacionais compõem a 6ª edição da maior feira de design colecionável da América Latina

Paula Alzugaray
Typecasting. An Assembly of Iconic, Forgotten and New Vitra Characters, exposição desenhada e curada por Robert Stadler na Milano Design Week 2018 (Foto: Vitra, Julien Lanoo)

No momento em que a história das exposições se afirma como um importante segmento de pesquisa da história da arte, a MADE (Mercado.Arte.Design) elege uma exposição como mote inspirador de sua 6ª edição, que acontece de quarta 27/6 a domingo 1/7, no Pavilhão da Bienal, em São Paulo. A mostra em questão é Machine Art, curada em 1934 pelo arquiteto Philip Johnson no MoMA-NY. “Essa exposição é um marco histórico da incorporação do design industrial dentro de uma instituição de arte”, diz o diretor da MADE, Waldick Jatobá, à seLecT.

A mostra terá uma releitura na MADE, assinada por Hillary Lewis, curadora-chefe e diretora criativa da fundação The Glass House, de Connecticut, que também dará uma palestra na sexta 28. “Machine Art Revisited explora tanto o legado da exposição de Johnson quanto a maneira como o design contemporâneo do século 21 se transformou radicalmente”, afirma Lewis.

A mostra serve de mote para o tema a ser explorado este ano pelo evento. Seguindo a tradição de eleger um designer do ano, o homenageado da vez é o austríaco Robert Stadler, que é conhecido por sua forte atuação no campo do design industrial: realizou criações para grandes grifes como Dior, Fondation Cartier e Palais de Tokyo. “A MADE reafirma seu olhar para desenho autoral, ao eleger um designer que se destaca pela adaptação do desenho artesanal para o industrial”, diz Jatobá.

A exposição de Sérgio Cabral, chamada Eu Falo Colher, reflete sobre a relação entre prazer sexual e gastronômico (Foto: Divulgação)

 

Além de Machine Art e uma individual de Stadler, o evento apresenta ainda outras seis exposições. Entre elas, Eu Falo Colher, uma bem-humorada reflexão sobre a relação entre prazer sexual e gastronômico, assinada pelo designer industrial Sérgio Cabral. Por falar em prazer oral, a novidade do ano é a seção Gastro MADE, espaço com curadoria da jornalista Beta Germano, dedicado a marcas de gastronomia que valorizam a produção artesanal.

Reconhecidamente um celeiro de profissionais do design autoral, a MADE atinge este ano seu recorde, com mais de cem expositores nacionais e internacionais. O setor Hand MADE, por exemplo, mais do que dobrou, passando de 12 a 31 marcas. Seções de Conversas e Co-Design reafirmam o evento como importante plataforma de interação entre agentes culturais e do setor. Tudo isso é coroado com uma premiação que reconhece os melhores projetos de cada um dos espaços da feira: Coletivo 5M, Coletivo 10M, Galeria e Hand MADE.

Serviço
MADE (Mercado.Arte.Design), Machine Art after Philip Johnson
De 27/6 a 1/7
Pavilhão da Bienal
Av. Pedro Álvares Cabral, s/n – São Paulo
mercadoartedesign.com

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.