Documenta 15: política ou patrulhamento?

Saída da artista Hito Steyerl da edição atual da mostra alemã acirra a desinformação em Kassel

Juliana Monachesi

Publicado em: 14/07/2022

Categoria: Da Hora, Destaque, Notícias Quentes, Opinião

Anúncio da documenta15, de maio de 2022, cancelando série de debates sobre arte, liberdade e solidariedade: uma conversa inviável em Kassel

A controvérsia começou antes mesmo da inauguração da documenta15, quando um espaço de arte em Kassel, Alemanha, destinado a abrigar uma exposição do coletivo palestino The Question of Funding [a questão do financiamento], parte da grande mostra, foi vandalizado em 27 de maio. As paredes interiores do WH22 foram danificadas com extintores de incêndio e pintadas com spray com slogans incluindo “187” e “Peralta”. O ruangrupa, coletivo curatorial da Indonésia que está à frente da quinquenial este ano, afirmou na ocasião acreditar que a primeira inscrição se refere à seção do código penal da Califórnia, sobre assassinato, e a outra à líder espanhola de extrema direita Isabelle Peralta, que no passado incentivou a violência contra o Islã. O ato de vandalismo foi condenado pelo ruangrupa e associado às críticas que o coletivo palestino e a própria documenta15 já vinham recebendo desde janeiro por apoiarem a petição Nothing Can Be Changed Until Faced, resposta a uma resolução aprovada em 2019 pelo parlamento alemão que condena o movimento de solidariedade palestino Boicote, Desinvestimento, Sanções (BDS) como antissemita. Toda a movimentação posterior, da descontextualização da obra do grupo indonésio Taring Padi à retirada da obra de Hito Steyerl da mostra, pela própria artista, sob a alegação de que a documenta15 não está enfrentando a complexidade do tema como deveria, é patrulhamento ideológico, manifestações “políticas” para encobrir o óbvio: a Alemanha não tolera discursos pró-Palestina.

Tags:

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.