Eliane Robert Moraes e Fernando Paixão no Itaú Cultural

Os pesquisadores questionam e apontam formas e figuras poéticas relacionadas ao corpo presentes na lírica portuguesa do século XX

Publicado em: 26/04/2016

Categoria: Agenda, Debates

Eliane Robert Moraes (Foto: Divulgação)

No dia 27 de abril, o Itaú Cultural apresenta Literatura de Par em Par, série para refletir técnicas e linguagens contemporâneas da literatura com o público. A cada encontro, casais de escritores e pesquisadores são convidados para falar sobre seus respectivos pontos de contato na escrita. Quarta feira, falam ao público Fernando Paixão e Eliane Robert Moraes.

O desafio lançado para o público na série é de repensar sobre como se transpõem para o papel situações e memórias, boas ou ruins, acumuladas ao longo da vida. Na palestra Formas do Corpo na Poesia, Eliane e Paixão fazem o público pensar: como ler o corpo no corpo do poema? Na busca pela resposta, o casal expõe as várias formas e figuras poéticas existentes em nossa literatura por meio da análise de poemas de autores brasileiros e portugueses do século XX.

Interessados ainda em abordar os trânsitos entre o alto e o baixo na lírica, em especial a amorosa e a erótica, eles fazem um jogo com a plateia: ele, apropriando-se da figura do corpo velado, e ela, do corpo desvelado. Assim, fazem o público analisar como o corpo humano era apropriado na poesia do século passado.

Literatura de Par em Par acontecem na Sala Itaú Cultural, às 20h, com distribuição de ingresso gratuito com 30 minutos de antecedência na bilheteria do instituto e contam com tradução simultânea para Libras.

Serviço
Formas do Corpo na Poesia – Itaú Cultural
Avenida Paulista, 149, Bela Vista, São Paulo
Dia 27 de abril
Quarta-feira, das 20h às 21h30
Tel.: (11) 2168 1776

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.