Entre Macunaíma e Odisseu

Juliana Monachesi

Publicado em: 14/02/2013

Categoria: Da Hora, intervenções e projetos

Últimos dias: José Rufino embarca no mito homérico e constrói representação de Ulysses com material garimpado

Rufino

Legenda: O Ulysses de Rufino: um gigantesco corpo de herói ocupa todo o vão central do prédio da Casa França-Brasil (Foto: divulgação)

“Mais que uma imensa escultura, Ulysses é uma odisseia pela Baía de Guanabara e pela cidade do Rio de Janeiro. É uma transmutação da Odisseia de Homero para as águas, ilhas, mangues, rochedos, rios e terras cariocas. É uma aventura que passa pelo mito homérico, pela saga do personagem de James Joyce e chega aos heróis e anti-heróis da cidade”, diz o artista José Rufino sobre o conceito por trás de sua intervenção homérica na Casa França-Brasil, no Rio de Janeiro. Na obra de 190 m³, que ocupa todo o vão central do espaço é uma espécie de recriação de Ulysses a partir de materiais garimpados no Rio de Janeiro ao longo de três meses. Madeiras, pedras, ferros, concreto, conchas, cerâmicas etc. são recuperados do descarte e reinseridos em um sistema de valores simbólicos, reciclados, portanto, material e culturalmente, para constituir o corpo do herói monumentalizado, a um só tempo relíquia e ruína.

Ulysses

Até 17 de fevereiro de 2013

Casa França Brasil

Rua Visconde de Itaboraí, 78 – Centro – Rio de Janeiro

*Publicado originalmente na edição impressa #9.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.