Experiência coletiva em tempos de isolamento

Neste fim de semana, workshops promovidos pela fundação Pro Helvetia, com curadora do aarea, refletem sobre o digital na arte

Publicado em: 04/12/2020

Categoria: Da Hora, Destaque, Inscreva-se

Obra de Luiza Crosman no programa Open-Ended Encounters (Foto: Divulgação)

De hoje até domingo, 6/12, o projeto Open-ended Encounters conta com sessões on-line ao vivo para debater a prática de artistas e curadores como Chus Martínez, Vitória Cribb, Jota Mombaça, Jup do Bairro e Pedro França, além de discutir noções de alteridade e permeabilidade diante da experiência coletiva de isolamento social – o impacto da presença virtual no fazer artístico, intensificada por conta da Covid-19, também será assunto de debate. 

  • Obra de Chus Martínez e Vitória Cribb no programa Open-Eneded Encounters (Foto: Divulgação)
  • Obra de Darks Miranda e Pedro França no programa Open-Ended Encounters (Foto: Divulgação)
  • Obra do Grupo Inteiro no programa Open-Ended Encounters (Foto: Divulgação)
  • Obra de Jota Mombaça no programa Open-Ended Encounters (Foto: Divulgação)

Com curadoria do aarea, plataforma pioneira na exploração do digital como campo de pesquisa em arte no Brasil, essa série de workshops é viabilizada pela fundação Pro Helvetia, dentro do programa Coincidencia, que realiza intercâmbios entre países da América do Sul e a Suíça. Após quatro anos de existência do programa, inclusive, a fundação irá estabelecer, em 2021, escritórios no Brasil, Chile, Argentina e Colômbia. A criação de bases fixas nesses territórios tem como intuito permitir um envolvimento maior da Pro Helvetia com a cenas locais, possibilitando novos fomentos.  

Para conferir a programação completa do Open-ended Encounters e se inscrever nos workshops, clique aqui.

Tags: , , , , ,

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.