Exposição comemora centenário de Lygia Clark

A individual Respire Comigo é montada a partir do espírito da artista, que produzia experimentos acompanhados de elaborações teóricas

Paula Alzugaray
Retrato de Lygia Clark (Foto: Cortesia Associação Cultural O Mundo de Lygia Clark)

Quando inaugurado, em maio de 2018, com uma montagem do penetrável Rhodislândia (1971), de Hélio Oiticica, o studio OM.art vestiu a camisa do espírito colaborativo, experimental e relacional do artista que nos anos 1950 aspirou tirar a arte da imobilidade da parede e levá-la para o labirinto do mundo. Desde estão, essa ousada e importante diretriz definida para o espaço expositivo de Oskar Metsavaht está em prática. A proposta seguiu seu curso com a exposição Experienza Live Cinema, de Raul Mourão e Cabelo, que ao longo das quatro semanas de julho transformou o espaço em uma instalação performática e participativa.

Sob a influência de HO, o studio coloca agora em cena sua grande interlocutora, Lygia Clark. Com curadoria de Felipe Scovino, Ale Clark e Carolyna Aguiar, o projeto Respire Comigo não se apresenta como uma exposição-padrão. Fiel ao espírito de Lygia Clark e de HO, cujos experimentos eram em grande parte acompanhados de elaborações teóricas em textos e poemas, a mostra será composta de escritos, diários, encontros práticos e teóricos como proposições, experiências, encenações e debates sobre o trabalho da artista e seus desdobramentos na contemporaneidade. O projeto marca o início das comemorações do centenário de Lygia Clark, que em 2020 terá mostras no Guggenheim Bilbao em março, Arco Lisboa em maio e na Peggy Guggenheim Collection – Veneza em julho. 

Serviço
Respire Comigo – Lygia Clark
de 17/9 a 27/10
studio OM.art
R. Jardim Botânico, 997 – Rio de Janeiro
om.art.br

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.