Falemos sobre habitação popular

Favelas e moradia popular são uma das principais preocupações dos moradores paulistanos

Desenho enviado por Synarqs, participante do projeto Zap Zap pro Prefeito

A temática relacionada com habitação popular está presente nas demandas realizadas pelos paulistanos no projeto Zap Zap pro Prefeito. Não é de estranhar que os cidadãos se perguntem por que existem tantos prédios vazios em São Paulo, enquanto os moradores de rua abrigam-se pelos cantos da metrópole.

Fotografia enviada por participante do Zap Zap pro Prefeito

Fotografia enviada por participante do Zap Zap pro Prefeito

Com a fotografia acima de um prédio do centro de São Paulo, um participante do projeto se pergunta: “Por que não transformar em moradia popular os prédios abandonados do centro?!”.

Em relação a esse tema, o participante Synarqs discorre sobre outra questão: a habitação popular em encostas, cujo maior exemplo são as favelas. A crítica de Synarqs relaciona-se com a baixa popularidade que as favelas têm. Os espaços de circulação nessas zonas são criticados, mas os brasileiros valorizam as cidades europeias com traços medievais, cuja similaridade com as favelas brasileiras é relativamente alta. A principal diferença, segundo Synarqs, entre os medievos europeus e as favelas é: […] “Via de regra a paisagem desde o morro é bela, e a vista deste, não”. Ainda Synarqs propõe algumas soluções interessantes sobre saneamento básico, segurança e sustentabilidade nas favelas. Confira o depoimento completo do participante.

Se quiser mandar suas propostas para o próximo prefeito da cidade de São Paulo, pode escrever para o Whats App: (11) 95046‑9521‬. Não esqueça que fotos, vídeos e áudios também são bem-vindos!

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.