Festa popular

CCBB SP faz 15 anos e celebra com música e performance, DJ sets, dança e muita diversidade

Paula Alzugaray

Publicado em: 22/04/2016

Categoria: Da Hora, Notícias Quentes

Uma grande festa aberta a todos balançou o centro de São Paulo nesta quinta feira 21. Músicos, artistas, performers e (grande) publico fizeram juntos um show na celebração dos 15 anos do Centro Cultural Banco do Brasil. O evento agregador foi a quarta edição do CCBB Música e Performance.

A concentração começou no cair da tarde, com o DJ set do Calefação Tropicaos. Enquanto a rua fervia com o encontro das mais variadas tribos, dentro da instituição, o artista Daniel Lie meditava em um palco montado no centro da rotunda, sob um pêndulo de plantas e frutas suspensas por um mecanismo de roldanas.

IMG_0399IMG_0366

A performance “Lindinalva e o Bálsamo”, de Lie, começou quando o artista cedeu sua cadeira de meditação para sua avó. Sentada no palco durante toda a performance, ela foi ofertada com todas as flores colhidas do pêndulo. Já os cocos verdes foram abertos a facão e oferecidos ao público.

Enquanto Daniel Lie performava na rotunda, o cantor e compositor Liniker, que lidera um projeto musical que traduz soul e black music para a sonoridade contemporânea brasileira, aquecia corações e apimentava relações em palco montado no meio da rua.

A poesia de Liniker e as oferendas de Lie abriram a noite para a entrada dos cantos e tambores do Ilú Obá de Min, coletivo feminino, dedicado à educação, cultura a arte negra, seguidos da disputa de dança Voguing vs Breaking.

IMG_0485IMG_0411

Sob a lua cheia em Libra, em clima de festa e harmonia, as tribos afro, hip hop, eletrônica, trans, tropicalista e da arte contemporânea – além de todos os vendedores ambulantes de comida das redondezas – se encontraram em uma grande celebração que engatou noite adentro. 15 anos bem festejados.

IMG_0443 IMG_0481

Tags: , , , , , , ,

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.