Georg Baselitz, que feio!

Nina Gazire

Publicado em: 31/01/2013

Categoria: media reader, o post do dia

Um dos maiores pintores da Alemanha faz declarações machistas e decepciona geral na seção O post do dia

Baselitz-x1

Confira o trecho da entrevista concedida por Georg Baselitz ao jornal alemão Der Spiegel, publicada no último dia 25 de janeiro. Para quem não sabe Baselitz é um dos maiores nomes da pintura contemporânea alemã e um dos mais valorizados no mercado de arte mundial. Para saber mais sobre o pintor machista confira o verbete sobre ele na wikipedia.

“SPIEGEL:Você começou a pintar quando vivia na Alemanha Oriental e depois continuou seus estudos na Ocidental. Atualmente, o mercado de arte parece ignorar o legado artístico produzido na extinta Alemanha Oriental, incluindo os pintores que receberam a atenção e holofotes e aos quais você se referiu como “bundões” após a reunificação da Alemanha. Não acha que o reconhecimento está atrasado?

Baselitz: Como eu disse antes, o mercado sempre está certo

SPIEGEL: Sempre? Mas o mercado só reconhece poucas mulheres artistas, por exemplo. São poucas as mulheres entre os artistas mais valorizados.

Baselitz: Meu Deus! Mas é porque as mulheres não passam no teste.

SPIEGEL:  Qual teste?

Baselitz: O teste do mercado, o teste do valor.

SPIEGEL: O que o senhor quer dizer com isso?

Baselitz: As mulheres não pintam muito bem. É um fato. Mas existem exceções. Agnes Martin ou, no passado, Paula Modersohn-Becker.Fico feliz toda vez que vejo uma de suas pinturas. Mas ela não é um Picasso, um Modigliani ou um Gauguin.”

Confira a entrevista na íntegra e em inglês aqui

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.