Inhotim inaugura três exposições temporárias

Yayoi Kusama, Paul Pfeiffer, David Lamelas e Robert Irwin são alguns dos artistas participantes

Márion Strecker
Visitantes no Inhotim caminham em direção ao penetrável Magic Square, de Hélio Oiticica. Foto: William Gomes

O Inhotim abrirá no dia 6/9 três exposições temporárias, mas nem tanto. As mostras ficarão em cartaz por dois anos. Na Galeria Lago, a exposição chama-se Lamelas, Irwin, Kusama: Sobre a Percepção. Na Galeria Praça, haverá Paul Pfeiffer, Ensaios Vitruvianos. E na Galeria Fonte, estará a coletiva Para Ver o Tempo Passar, com trabalhos de John Gerrard, Jorge Macchi, Marcellvs L., Mario García Torres, Peter Coffin, Phil Collins, Rineke Dijkstra e Susan Hiller.

Sem Título (Falling Wall), obra de David Lamelas (Foto: Cortesia do artista e Galeria Jan Mot Bruxelas)

Na Galeria Lago, o artista conceitual argentino David Lamelas (1946) vai expor as obras Corner Piece (1966/2018), Límite de una Proyección I (1967), Proyección (1968), Situación de Cuatro Placas de Aluminio (1966) e Untitled (Falling Wall), de 1993/2018. No dia da abertura, às 11h42, Lamelas deve realizar a performance Time (Tempo), no espaço ao ar livre da instalação Magic Square, de Hélio Oiticica.

Do norte-americano Robert Irwin (1928) haverá a obra Black³ (2008). Da artista japonesa Yayoi Kusama (1929), que sofre alucinações desde criança e é obcecada por bolinhas, haverá a instalação I’m Here, But Nothing (Estou Aqui, Mas Nada), de 2000. Em paralelo, está em desenvolvimento a construção de uma galeria permanente para sua obra neste local singular em Minas Gerais, misto de jardim botânico e centro de arte contemporânea. Será a 20ª galeria permanente de Inhotim. Seu patrocinador será a Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), controlada pela família Moreira Salles.

Do havaiano Paul Pfeiffer duas obras serão montadas em uma ala da Galeria Praça. Vitruvian Figure é uma instalação de três metros de altura inspirada no estádio olímpico de Sidney, só que com 1 milhão de assentos, em vez dos 80 mil originais. O vídeo Empire faz uma narrativa antropomórfica sobre a construção de um ninho, e é inspirado no vídeo homônimo de Andy Warhol, em que o Empire State Building de Nova York aparece filmado por 8 horas consecutivas.

A terceira exposição, que acontecerá na Galeria Fonte, será dedicada a obras audiovisuais, como a escultura virtual Oil Stick Work (Angelo Martínez / Richfield, Kansas), 2008, do irlandês John Gerrard (1974), a projeção de slides com áudio Have You Ever Seen the Snow? (2010), do mexicano Mario García Torres (1975) e o vídeo I See a Woman Crying (Weeping Woman), 2009, da holandesa Rineke Dijsktra (1959). Obras do argentino Jorge Macchi (1963), do brasileiro Marcellvs L. (1980), do inglês Phil Collins (1970) e dos norte-americanos Susan Hiller (1940) e Peter Coffin (1972) também serão mostradas.

Quem tiver oportunidade de ir à abertura, às 15h30, poderá assistir ainda a performance Tempestade de Estábulo, do compositor alemão Daniel Löwenbrück e de Marcellvs L., no Espaço Igrejinha.

Serviço
Instituto Inhotim
Rua B, 20 – Brumadinho/MG
inhotim.org.br
31 3571-9700 | 31 3194-7300

 

  • Sem Título (Falling Wall), obra de David Lamelas (Foto: Cortesia do artista e Galeria Jan Mot Bruxelas)
  • Vídeo Empire, de Paul Pfeiffer (Foto: Cortesia do Artista e Galeria Paula Cooper Nova York)
  • 1051, de Jorge Macchi (Foto: Rossana Magri)
  • Have You Ever Seen the Snow (2010), projeção de slides de Mario García Torres (Foto: Cortesia do artista e estúdio)
  • Have You Ever Seen the Snow (2010), projeção de slides de Mario García Torres
  • Inhotim (Foto: William Gomes)
Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.