Intimidade exposta na SP-Arte

Trabalho de Kazuo Okubo, fotógrafo e diretor da galeria A Casa da Luz Vermelha, de Brasília, evidencia com apuro formal o orgão feminino

Luciana Pareja Norbiato

Publicado em: 05/04/2014

Categoria: Da Hora, Mercado de Arte

Tags: , , ,

Nada como olhar aguçado e apuro formal para transformar um tabu visual em imagem artística. Foi o que fez o fotógrafo Kazuo Okubo, dono da galeria brasiliense A Casa da Luz Vermelha, na série de imagens que enfocam pelas costas quadris femininos nus.

A ênfase está totalmente nas vaginas, com a luminosidade puxada ao máximo. O que resta no resultado minimalista é o fio que delimita a divisão das nádegas, culminando na genitália feminina e seguindo para o espaço entre as coxas.

Dsc01486

Longe de cair na vulgaridade, Okubo chegou a uma síntese imagética que inscreve seu trabalho em um formalismo apurado. O nome do projeto, no entanto, quebra um pouco o encanto: Inventário do Pererecário Brasileiro. “É porque pretendo clicar exemplares de todo o país”, diz o fotógrafo.

Com um stand localizado no piso térreo (B01), a série fez sucesso. O quatro grandes exemplares expostos logo na parede frontal do espaço já estão vendidos, restando apenas meia dúzia em pequenas dimensões. Mas sendo fotografia, vale perguntar se ainda há mais exemplares de cada tiragem.

SP-Arte, até 6/4 (domingo), Fundação Bienal, Parque Ibirapuera, São Paulo

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.