América não é EUA

Alfredo Jaar apresenta o trabalho A Logo For America, em Londres, que integra a exposição Under The Same Sun, uma discussão sobre a arte latinoamericana

Felipe Stoffa
Alfredo Jaar - Logo For América, trabalho exposto na Times Square, em Nova York (Foto: Alfredo Jaar/Divulgação)

Em meio à tumultuosa Piccadilly Circus, em Londres, turistas e moradores se esbarram diariamente na multidão. Alguns percorrem seus trajetos diários, enquanto outros, com câmeras nas mãos, fotografam a icônica estátua de Eros, localizada no encontro das duas largas avenidas, ou tiram selfies na frente dos famosos ônibus vermelhos, táxis e lojas de departamento. Outro símbolo do local é a imensa quantidade de outdoors eletrônicos que compõem a fachada dos edifícios, uma espécie de Times Square européia que forma um dos postais mais conhecidos da cidade.

O local foi escolhido para receber o trabalho do chileno Alfredo Jaar, A Logo For America (1987), que integra a exposição coletiva Under The Same Sun: Art from Latin America Today, na South London Gallery, com curadoria de Pablo León de la Barra. A mostra, exibida primeiramente em 2014 no Guggenheim Museum, em Nova York, já passou pela cidade do México entre 2015 e 2016.

A obra de Jaar consiste em uma intervenção multimídia, exposta pela primeira vez nos telões da Times Square, em Nova York, como se fosse um anúncio publicitário. Entretanto, ao invés de vender um produto, como de costume, as imagens questionam, de maneira subjetiva, a ideia banal que se tem ao falar de América, palavra normalmente associada apenas aos Estados Unidos. O trabalho parte de um questionamento sobre os conflitos sociais e políticos da região, que sofre até hoje os males do abuso imperialista. “Vindo do Chile, sempre me senti americano, pois a América é um continente, e não apenas um país”, diz o artista.

Piccadilly Circus, em Londres, local que recebe a obra A Logo For America, de Alfredo Jaar (Foto: Reprodução/Flickr)

Piccadilly Circus, em Londres. Os telões na fachada dos edifícios recebem a obra A Logo For America, de Alfredo Jaar (Foto: Reprodução/Flickr)

Apesar de ter sido apresentado pela primeira vez no final dos anos 1980, o trabalho lança uma discussão ainda fértil. “Desde que cheguei em Nova York, em 1982, quis fazer um trabalho que de alguma maneira corrigisse esta noção errônea de América presente na linguagem cotidiana. Acredito ser valioso encontrar um espaço no coração da cidade para clamar que isto não é a América. Desta maneira, projetamos na imaginação das pessoas sobre o que é verdadeiramente o continente americano”, afirma Jaar, em entrevista concedida na ocasião da primeira exibição de Under The Same Sun, em 2014. Agora, o público tem a oportunidade de encontrar o anúncio em Londres, que aparece camuflado em meio aos telões publicitários a cada seis minutos, até 4/8.

A potência do trabalho é justamente o cruzamento entre uma propaganda massificada que, na verdade, transmite uma mensagem provocativa. “Na realidade, gosto que as campanhas publicitárias ao redor sigam correndo ao mesmo tempo que o trabalho, de maneira em que as propagandas se encontrem no meio do meu anúncio. Pois é dessa forma que o mundo se encontra atualmente: informações que vão de um lado para o outro, enquanto outras resistem. Estes meus slogans são meus modestos anúncios de resistência”, comenta o artista.

Alfredo Jaar - A Logo For America (Foto: Alfredo Jaar/Divulgação)

Alfredo Jaar – A Logo For America (Foto: Alfredo Jaar/Divulgação)

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.