Leilão pela democracia

Artistas visuais doam obras para leilão online que ocorre em prol do ex-presidente Lula

Da Redação
Os lances pelo trabalho Anticéu (1994), de Augusto de Campos, começam em R$ 1401 (Foto: Divulgação)

Para defender o Estado de direito no Brasil, cerca de 50 artistas participam do leilão online Artes Plásticas Pela Democracia até a próxima sexta-feira, 19/10. O grupo inclui nomes como Ana Prata, Iran do Espírito Santo, Lourival Cuquinha, Mauro Restiffe, Rochelle Costi, Sergio Romagnolo e Tomie Ohtake.

A inciativa defende que o impeachment de Dilma Roussef e a prisão de Lula não tiveram indícios suficientes para se sustentar judicialmente. “Ficou claro ali que a acusação não parava em pé, não havia indício, não havia prova, não havia nada”, escrevem sobre Dilma em texto disponível no site do leilão. “A prisão de Lula segue o mesmo caminho. Fizeram uma leitura tortuosa da Constituição, farejaram provas e só encontraram convicções. Os juízes, novos heróis da Pátria, espremem a letra da Lei para justificar essa brutalidade”, completam.

Dispostos a vender trabalhos com um preço abaixo do valor de mercado, os artistas doarão a verba arrecadada para a manutenção do Instituto Lula e para a defesa do ex-presidente. Os preços variam de R$ 300 a R$ 15 mil. Interessados devem encaminhar seus lances pelo site. No dia 19/10, o ofertante de maior lance negociará diretamente com o artista o pagamento e entrega da obra.

A partir de 18h do sábado, 20, acontecerá uma confraternização no Galpão VideoBrasil na qual será anunciado o valor total arrecadado.

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.