Lenha para a fogueira

Editora de livro-objetos n-1 edições propõe Pandemia, um modelo de assinaturas inovador que funciona por adesão progressiva

Luana Fortes

Publicado em: 30/05/2017

Categoria: Da Hora, Destaque

Tênis usado para carimbar a capa do cordel Quando as Ruas Queimam: Manifesto pela Emergência, de Vladimir Safatle (Fotos: Reprodução)

Desde 2011, a editora n-1 edições vem lançando publicações diferenciadas que abordam problemas contemporâneos. A proposta busca unir uma escala industrial com elementos de produção artesanal, geralmente manifestados nas capas e projetos gráficos de cada livro. Agora, para que a iniciativa continue acesa, criou-se um inovador sistema de assinaturas que funciona por contágio e adesão progressiva, a Pandemia.  “Estamos fazendo essa campanha maior para ter um público que possa aderir de maneira contínua e colaborar para viabilizar tanto esse projeto quanto outros”, conta o filósofo Peter Pál Pelbart, editor da n-1 edições, à seLecT.

Série Pandemia

Série Pandemia

 

Existem três tipos de Pandemia, com mensalidades de R$ 15, R$ 40 e R$ 100. Além de outros benefícios, todos elas oferecem ao assinante 20% de desconto na compra direta de livros da editora e dois cordéis mensais. Até agora, já foram publicados 10 desses cordéis, que foram reunidos dentro de uma caixa de fósforo agigantada, referenciando o caráter incendiário do conteúdo lá guardado. “Mais e mais, nosso desejo é circular ideias dissidentes e politicamente fortes”, revela Pelbart. Entre os autores estão Eduardo Viveiros de Castro, Giorgio Agamben, Suely Rolnik e Vladimir Safatle, cada um tratando de assuntos e áreas diferentes, porém de igual potência política. Saiba mais sobre as assinaturas aqui!

Tags: , , , , , , , , , ,

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.