Luz viva

Nina Gazire

Publicado em: 01/02/2013

Categoria: Da Hora, design

Escritório de arquitetura cria lustre alimentado por bactérias

Bacterioptica

Projetado pelo escritório de arquitetura MADLAB, responsável por criações inusitadas, o Bacterioptica é muito mais do que uma luminária de design elaborado e funcional. Cada fio transparente_ a estrutura de cabos de fibra ótica que compõem a peça possuem cerca de 4,5 metros de comprimento_ está ligado à diferentes placas de Petri com culturas de bactérias.

Não, as bactérias não vêm especialmente de um laboratório, mas da própria sujeira do ambiente. Para criar uma cultura, basta recolher seus próprios resíduos_ pele morta, bolor de pão, lixo_ e alimentar (obviamente, seguindo as instruções que vem junto com a luminária) as culturas bacteriológicas. 

Bacterioptica1

À medida que as culturas vão crescendo, a luz emitida pelas lâmpadas sofrem variações de intensidade. A composição modular do lustre contém centenas de hastes de metal e acoplamentos que oferecem uma série infinita de configurações e direcionamento luminoso. Mas diferente de uma luminária que pode ser ligada ou desligada pelo interruptor, o Bacterioptica funciona como um organismo vivo e é inteiramente controlado pelo sistema biológico do qual é feito. Isso significa que as luzes estarão sempre acesas, pelo menos enquanto as bactérias estiverem ativas.

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.