Matéria fina

Publicado em: 27/07/2015

Categoria: Da Hora, exposições e bienais

Museu de Arte Moderna da Bahia apresenta trabalhos de designers e artistas italianos que usam papel como matéria-prima

Munari_3

Legenda: Registro de obras de Bruno Munari. (Foto: Divulgação)

Lembrado por sua natureza frágil e delicada, o papel é talvez um dos suportes mais antigos das artes visuais. Utilizada nas mais variadas formas em desenhos, esculturas e pinturas, essa matéria-prima é o fio condutor da exposição Forte como papel, que ocupa o Museu de Arte Moderna da Bahia. Realizada em parceria com o Instituto Italiano de Cultura do Rio de Janeiro, a mostra reúne peças de designers e artistas que usaram papel e papelão como base de seus trabalhos.

Com obras de nomes italianos ligados aos movimentos europeus de vanguarda, como Bruno Munari e Enzo Mari, até jovens artistas como Virgilio Villoresi e o ilustrador Emiliano Ponzi, a exposição traz também cartas e fotografias, entre outros materiais documentais, relacionados ao pensamento e trabalho dos designers-artistas.

Ocupação
Forte como papel integra Este Nosso não é um Museu, programa lançado com a intenção de ocupar os espaços da instituição baiana com exposições, exibição de filmes, oficinas, palestras e mostras de documentação histórica. O nome da iniciativa faz referência a uma citação da arquiteta Lina Bo Bardi, primeira diretora do museu, presente em um documento do acervo do MAM-BA.

Serviço

Museu de Arte Moderna da Bahia / IPAC
Até 13 de setembro
De terça a domingo, das 13h às 18h
Grátis

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.