Menos poluição visual!

Paisagem urbana é tema recorrente no cotidiano dos paulistanos, que agora enviam suas propostas ao Zap Zap pro Prefeito

Projeto proposto pelo participante Synaqs de revitalizar e adicionar novas passagens e pistas em galerias do centro da cidade

A paisagem urbana é reclamação constante na vida dos paulistanos, incomodados com a poluição visual da metrópole. Entretanto, são poucos os projetos que de fato foram concretizados. A arquiteta Ana Maria Cury, por exemplo, em mensagem enviada ao projeto Zap Zap pro Prefeito, questiona a lentidão em enterrar os fios elétricos da cidade: “Acho um perigo esse emaranhado de fios nos postes das ruas de São Paulo, fora que pagamos um absurdo nas contas de Luz e etc.. Fora IPTU”.

Preocupado com o crescimento desordenado de São Paulo ao longo do século 20, o participante Synarqs elogia as trocas entre distintas culturas que a cidade pode oferecer, mas questiona a pouca estrutura que acomode e efetive esse encontro: “O paulistano vive imerso nesta riqueza cultural extraordinária, porém a conformação da cidade não facilita o encontro, a troca, não oferece na quantidade necessária espaços públicos que pudessem promover interação, não ‘azeita’ as relações entre seus habitantes, que transitam na aridez acimentada de uma grande urbe parcamente arborizada, no mais das vezes, sem acesso às poucas praças e parques que a cidade oferece, e se o habitante sofre, o habitat então, nem se fale!”. Confira o depoimento completo dos participantes que falam diretamente em relação à paisagem urbana.

Se quiser mandar suas propostas para o próximo prefeito da cidade de São Paulo, pode escrever para o Whats App: (11) 95046‑9521‬. Não esqueça que fotos, vídeos e áudios também são bem-vindos!

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.