Morre Antonio Dias aos 74 anos

O artista paraibano faleceu na tarde desta quarta-feira, 1º/8, por conta de um câncer no cérebro

Da redação

Publicado em: 01/08/2018

Categoria: Da Hora, Notícias Quentes

Retrato de Antonio Dias (Foto: Arquivo seLecT/ Everton Ballardin)

Um dos maiores nomes da Nova Figuração brasileira, Antonio Dias, faleceu nesta quarta-feira, 1º/8, na Clínica São Vicente do Rio de Janeiro devido a um câncer. Há sete anos, o artista paraibano tratou um tumor no pulmão e em 2017 precisou batalhar contra outro no cérebro. Após ser internado no domingo 29/7, não resistiu. O velório ocorre na quinta-feira, 2/8, na Capela 7 do Memorial do Carmo (Rio de Janeiro), a partir de 14h.

Antonio Dias marcou a produção nacional desde os anos 1960 e realizou muitas obras de caráter político contra e durante a ditadura militar brasileira. O artista nasceu em Campina Grande, na Paraíba, e logo passou a trabalhar do Rio de Janeiro. Ao longo de sua carreira, passou por Milão, Nova York, Berlim e Nepal. Em 2015, Dias deu entrevista à seLecT sobre sua experiência no país asiático e os trabalhos lá produzidos, que foram exibidos naquele ano na Galeria Nara Roesler.

O artista é representado pela galerista Nara Roesler há nove anos. O espaço apresentará a partir de 25/8 uma exposição individual de Dias com curadoria do crítico e curador Paulo Sérgio Duarte.

  • Você Escapando (1964), de Antonio Dias (Foto: Vicente de Mello)
  • Estou Pronto (1965), de Antonio Dias (Foto: Paulo Scheuenstuhi)
  • Emblema Para Uma Esquadrilha Assassina (1967), de Antonio Dias (Foto: Jaime Acioli)
  • Trabalhando Na Fornalha (1986), de Antonio Dias (Foto: Divulgação)
  • Bandeira/Trabalho (1981), de Antonio Dias (Foto: Divulgação)
Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.