Mulheres na história do rock

Nina Gazire

Publicado em: 08/03/2012

Categoria: Selects, som

O dia mulher também é dia de rock, bêbê! Uma lista com algumas mulheres que fizeram a história no rock

Sleaterkinney

Para comemorar o dia internacional da mulher, montamos uma playlist com o que há de melhor do rock produzido por mulheres de atitude. Deixamos de fora alguns canônes_ como Rita Lee, Janis Joplin, The Runaways, Deborah Harry, Patti Smith ou Kim Gordon_ que dispensam apresentações, e privilegiamos nomes desconhecidos ou menos lembrados, porém de igual importância. Confira abaixo:

Memphis Minnie

O que seria do rock n’ roll sem o blues? Quando este estilo musical era dominado por homens, ela foi uma das primeiras mulheres não só a cantar, mas também a empunhar um violão e se firmar como uma das grandes instrumentistas do gênero. Sua música When the leeves breaks foi regravada pelo Led Zeppelin.

Wanda Jackson

Quando o rock n’ roll estava nascendo, o gênero Rockabilly fez (e ainda faz) a cabeça da juventude mundo afora. Se engana quem pensa que apenas os bad boys vestidos com jaquetas de couro comandaram a cena. Saída da cena country com sua guitarra, Wanda Jackson adentrou o Rockabilly e foi uma das precursoras no rock n’roll.

The Shangri-las

Na década de 1960 Elvis e os Beatles já haviam espalhado o rock pelo mundo e poucas bandas com mulheres tocando instrumentos existiam. No entanto, para se fazerem aceitas, muitas mulheres cantaram versões mais românticas e açucaradas do ritmo. As Shangri-las chocaram duplamente: por serem brancas e cantarem como negras e por suas músicas falarem do lado legal de ser uma bad girl.

http://www.youtube.com/watch?v=UiJaNSXlYuQ

Grace Slick ( Jefferson Air Plane)

Slick foi uma das primeiras mulheres a frente de uma banda só de homens. O Jefferson Airplane nasceu em 1965 em São Francisco e foi uma das bandas pioneiras do rock psicodélico.

Suzi Quatro

Ela nasceu em Detroit, onde na década de 1960, formou sua primeira banda. Mas foi apenas quando se mudou para a Inglaterra em 1971, após ser descoberta por um empresário, que estourou. Na onda do glam rock, iniciada por David Bowie, Quatro foi um sucesso com seu contrabaixo. Sem ela nem Joan Jett e nem as The Runaways teriam existido.

The Slits

Elas misturaram reggae com punk sem saberem tocar um instrumento. O resultado é um som completamente original e super divertido que agradou em muito os rapazes do The Clash, que fizeram delas atração de abertura de seus shows.

Girlschool

Rainhas do heavy metal, as quatro garotas inglesas invadiram o mundo dos cabeludos na década 1980 e provaram que o gênero não era coisa só de macho.

Lydia Lunch

Surgida na cena punk nova-iorquina, Lydia Lunch (Lydia Lanche), que ficou assim conhecida por roubar o almoço de seus amigos, foi pioneira da cena No Wave a frente da banda Teenage Jesus & The Jerks. Seguindo os passos de Patti Smith, também ficou conhecida por suas poesias.

Liliput

A banda veio da Suíça e é formada inteiramente por mulheres na década de 1980. O movimento riot grrrl _ dedicado a causa feminista e a presença das mulheres no mundo do rock_ as consideram suas musas inspiradoras.

Mercenárias

Um dos melhores grupos femininos surgido na cena punk brasileira durante a década 1980. O álbum Cadê as armas? é um clássico subestimado do rock nacional.

Sleater Kinney

A banda foi formada em 1994 por Corin Tucker e Carrie Brownstein, integrantes de outras bandas do movimento Riot Grrrl, em Olympia, nos EUA. A banda rompeu no ano de 2006, após o lançamento de The Woods, considerado uma obra prima do rock feito na primeira década dos anos 2000.

OOIOO

Grupo de rock instrumental do japão, formado por Yoshimi P-Wee, a baixista da lendária banda de noise rock Boredoms. O som é devedor direto de outra banda precursora, Liliput, porém sem letras de música, e sim, vocais tribais.

Leia mais do nosso Especial do Dia da Mulher

Cinema Experimental por Elas

A Chave para a Liberdade

Ser jovem é ser belo?

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.