“No” ao Trumpismo

O mundo da arte protesta contra a posse do presidente eleito Donald Trump com uma greve geral das instituições artísticas

Ana Abril
Cartaz do movimento #J20 Art Strike (Imagem: Reprodução)

Mais de uma dezena de galerias de arte nova-iorquinas estarão fechadas, em 20/1 (próxima sexta-feira). Esse é o jeito escolhido pelas instituições artísticas para protestar contra a posse de Donald Trump como presidente dos Estados Unidos, que acontece nesse mesmo dia. O movimento, que possui um site, foi batizado de #J20 Art Strike (J20 Greve da Arte) e é organizado em solidariedade às organizações Women Strike#DisruptJ20Ungovernable 2017Disability March e Women’s March on Washington. Mais de cem artistas, curadores e galeristas assinaram o manifesto, entre eles a fotógrafa Cindy Sherman e a ativista cubana Tania Bruguera.

A carta de atuação do #J20 Art Strike convoca galerias e instituições artísticas para a greve do J20 (20 de Janeiro), alegando que essa ação é só o começo de um luta que “permanecerá como faróis de ingovernabilidade à medida que a escuridão da era Trump recai sobre nós”. O manifesto afirma que “este chamado não é só para o campo da arte. É feito em solidariedade com a demanda nacional que, em 20 de janeiro, os negócios não devem acontecer como de costume.”

“Consideramos o #J20 Art Strike como uma tática, entre outras, para combater a normalização ao Trumpismo – uma mistura tóxica de supremacia branca, misoginia, xenofobia, militarismo e domínio oligárquico. Como qualquer tática, esta não é um fim em si mesma, mas, sim, uma intervenção que se ramificará no futuro. Não é uma greve contra a arte, o teatro ou qualquer outra forma cultural. É um convite para motivar essas atividades novamente, para re-imaginar esses espaços como lugares onde formas resistentes de pensamento, visão, sentimento e ação podem ser produzidas”, diz a primeira parte do manifesto do #J20 Art Strike, que pode ser lido na íntegra no site.

As galerias que já anunciaram sua participação na greve, segundo o site Hyperallergic, são White Columns, Smack Mellon, Alexander Gray Associates, Andrew Kreps, bit forms gallery, Canada, Cheim & Read e Essex Street, entre outras.

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.