O Brasil é pop

Ricargo Camargo Galeria exibe recorte das vanguardas dos anos 1960-70

Luciana Pareja Norbiato

Publicado em: 01/12/2016

Categoria: Da Hora, Notícias Quentes

Tags: , ,

Ubirajara Ribeiro, Mais ou Menos um Detalhe, 1967 (foto: divulgação)

Yes, nós tivemos vanguarda. É o que prova a mostra Pop, Nova Figuração e Após, que a Ricardo Camargo Galeria exibe até janeiro de 2017. Ela reverbera exposições como o recorte da Coleção Roger Wright aberto recentemente na Pinacoteca de São Paulo e Vanguarda Tropical, realizada pela própria galeria de Camargo em 2007.

Isso graças à especialização do marchand na produção dos anos 1960-70 no Brasil: há 50 anos, ele abriu a Art-Art, primeira galeria de arte contemporânea de São Paulo. Essa expertise garante uma exposição recheada de trabalhos expressivos da produção do período, além de outros que vieram na carona desse movimento.

São 58 trabalhos de 25 nomes como Ubirajara Ribeiro, Antonio Henrique Amaral, Wesley Duke Lee, Claudio Tozzi, Rubens Gerchman, Tomoshige Kusuno, Aguilar, Baravelli, Carlos Fajardo e Ivald Granato, entre outros. Obras significativas de artistas menos lembrados, como Maria Helena Chartuni e Samuel Szpigel, resgatam parte importante da História da Arte nacional.

Serviço
Pop, Nova Figuração e Após
Ricardo Camargo Galeria
Rua Frei Galvão, 121, São Paulo
Até 31/1/17

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.