O Quixote do humor

da Redação

Publicado em: 18/06/2014

Categoria: Da Hora, exposições e bienais

Exposição multimídia reúne cerca de 300 desenhos, mapeando os mais de 50 anos de carreira do cartunista gaúcho Claudius

Claudius_body

Legenda: Capa d’O Pasquim, semanário do qual Claudius foi um dos fundadores, ao lado de Jaguar, Prósperi, Tarso e Sérgio Cabral

Os anos de chumbo no Brasil – representados fielmente pelas imagens que integram a coleção de fotos da ditadura de Silvio Frota (ver a edição #17
da seLecT) – foram sangrentos e inglórios. O período foi, entretanto, colocado entre parênteses em alguns momentos, e isso graças a jornalistas e cartunistas corajosos, reunidos em torno do legendário semanário alternativo O Pasquim.

Um deles é o gaúcho Claudius Ceccon (conhecido apenas como Claudius), um dos grandes nomes da história do cartunismo brasileiro, cuja trajetória está sendo contada em mostra retrospectiva no SESC Santo Amaro, em São Paulo. A exposição Claudius: Quixote do Humor, com curadoria do próprio artista, tem a expografia e montagem assinada pelo SuperUber, uma produtora de arte, design e tecnologia com sede no Rio de Janeiro.

Claudius_body2

Legenda: Público interage com objetos digitais da exposição com arquivos do cartunista Claudius (foto: SuperUber)

O atelier carioca dividiu o espaço em módulos cenográficos, como se fossem folhas de papel espalhadas pelas paredes da exposição. A paleta de cores principal cobre uma vasta área – e cada cor representa um tema do arquivo de Claudius. Logo na entrada, os visitantes podem interagir com seus desenhos que, ao serem tocados, se tornam animações e palavras.

A exposição fica em cartaz até 27 de julho e tem entrada franca. Pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 11h às 21h, e aos sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h.

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.