O som do agora

Guilherme Kujawski

Publicado em: 13/01/2014

Categoria: Da Hora, exposições e bienais

Galeria Pilar traz a São Paulo obra sonora do artista argentino Leandro Tartaglia

Tartaglia_body

Legenda: Imagem de Mensagem de Texto. Som-Agora, instalação sonora inédita de Leandro Tartaglia (Foto: Divulgação)

Entre seus mestres inspiradores estão Janet Cardiff, Francis Alÿs e John Cage. Com isso, dá para inferir quais as propostas conceituais do artista argentino Leandro Tartaglia que, a partir do dia 30 de Janeiro, terá a sua primeira individual em São Paulo. Arte performática e experiências sonoras são seus focos de interesse, como alguns hão de lembrar quando da 30ª Bienal de São Paulo – A Iminência das Poéticas, mais especificamente naquelas ações do trajeto do pavilhão da Bienal à Capela do Morumbi (Tudo em sua mente, 2012).

Ex-integrante do Oligatega Numeric, coletivo argentino interessado na relação entre obra e espectador, Tartaglia passou a se preocupar também com o aspecto institucional do mundo/sistema de arte. Sua obra tem como características o uso criativo da tecnologia, a criação de enredos ficcionais e a elaboração de percursos psicogeográficos. Não menos importante: o artista promove uma “fabricação” do observador-participante.

No trabalho apresentado na Galeria Pilar, ele explora o sempre atual tema dos canais de informação, de como o sinal é incondicionalmente cooptado pelo ruído, muito em razão de sua fome de banda. Ao tema da mensagem a la Claude Shannon, representado por quatro canais de som espalhados pela galeria, é adicionada uma camada de ficção científica, na qual a comunicação entre humanos e seres de dimensões espaço-temporais artificiais resulta em uma mensagem truncada, mas nem por isso ininteligível.

Serviço:

Onde: Galeria Pilar, r. Barão de Tatuí, 389, Santa Cecília, tel. (11) 3661-7119.

Abertura: 30 de janeiro, das 19h às 22h

Período expositivo: 30 de Janeiro a 22 de Março

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.