Objetos não identificados

Paula Alzulgaray

Publicado em: 11/02/2012

Categoria: Da Hora, design

Equipamentos que simulam as funções fisiológicas do corpo humano, quadricópteros guiados por celular e big hits da robótica são objetos de desejo e funcionariam bem até em exposições de arte

Legenda: BigDog em ação, em vídeo com mais de 1 milhão de exibições no YouTube

Um robô que escala morros nevados, caminha pela praia com a água do mar batendo nos joelhos e patina no gelo é uma façanha difícil de acreditar. Mas ele existe, se chama BigDog e está a poucos cliques de distância de qualquer internauta. Desde 2008, esse robô com nome de cão, mas que mais parece uma mosca gigante fugitiva do filme Mad Max, é a estrela de uma série de vídeos que, definitivamente, estão fora dos padrões dos vídeos institucionais que vendem produtos tecnológicos na internet.

Para qualquer desavisado, um vídeo de testes e estudos de reflexos do BigDog que a empresa de robótica Boston Dynamics disponibiliza em seu canal no YouTube poderia facilmente ser confundido com um trailer de filme de ficção científica de David Cronemberg, ou de filme de terror de Stanley Kubrick, ou mesmo de um Tarantino rodado na Tailândia. Acredite, os vídeos do BigDog – autênticos blockbusters com até 12,5 milhões de visualizações no YouTube – definitivamente não estão longe da videoarte e facilmente enganariam um curador de arte contemporânea.

Legenda: LittleDog, versão pequena do robô que se move como um cão

Como mostram os vídeos, BigDog – e seus amiguinhos LittleDog, uma espécie de besouro enfurecido, e RHex, algo próximo à barata do Wall-e – tem a incrível habilidade de caminhar em terrenos acidentados, subir e descer montanhas, equilibrar sobre ruínas de cidades destruídas por guerras, chafurdar na lama e mergulhar e reagir a empurrões empreendidos por cientistas-carrascos. Não é à toa que eles servem na marinha e na armada americana e são patrocinados pela Agência de Pesquisa de Projetos de Defesa Avançada, dos EUA. Os robôs da Boston Dynamics têm inspiração biológica e perseguem os reflexos motores de reles seres vivos como nós: o BigDog, por exemplo, definitivamente não foi feito para andar sobre o gelo (como os humanos).

A última invenção da empresa é o robô Petman, que atinge temperatura e umidade do corpo humano, produzindo algo semelhante ao suor e simulando condições realísticas para a função a que se presta: testar roupas à prova de substâncias químicas.

Legenda: Petman

Se os robôs de Massachusets poderiam estar em exposições de arte contemporânea, já o Parrot AR.Drone, um objeto voador controlado por iPhone, iPod touch ou iPad, confunde-se com experimentos audiovisuais que aparecem em exposições anuais e bienais de arte e tecnologia.

100_1836

Legenda: o quadricóptero AR.Drone, controlado por celular ou tablet

Esse aeromodelo é um sistema com quatro hélices e duas câmeras de vídeo acopladas que permite ao usuário a visualização na tela do iPhone das imagens do voo em tempo real. O comando do objeto se dá a partir da instalação no celular de um aplicativo que serve como um joystick virtual. Ideal para pilotos e videoartistas de fim de semana.

Legenda: Coletânea dos melhores vídeos enviados pelos usuários no canal oficial AR.Drone do Youtube

Com três hélices e uma tecnologia similar ao do brinquedo quadricóptero, há quem aposte que o Hammerhead é o protótipo dos carros voadores do futuro próximo. Como o objeto voador é compatível com a Apple, esse modelo promete realizar decolagens e aterrissagens verticais. Isso resolveria a dificuldade das balizas – caso o Hammerhead não tivesse a largura de três carros. Com a hiperpopulação das cidades, é difícil crer que no futuro elas terão megavagas de estacionamento.

Hammerhead

Antes de chegar às cidades do futuro, que tal resolver os problemas do presente? A isso se propõe a TOTO, marca japonesa de louças de banheiro que, dentro da campanha Green Challenge (Desafio Verde), criou uma motocicleta cujo assento foi substituído por um vaso sanitário de design sofisticado. Quando a campanha publicitária começou a circular no Japão, em setembro de 2011, levantou a suspeita de que o veículo efetivamente funcionasse com dejetos humanos.

Toilet-bike

Mas, ao contrário do que uma boa comédia de Grouxo Marx poderia sugerir, a Toilet Bike Neo da TOTO não tem o mecanismo de andar com dejetos produzidos pelo motorista em plena estrada. Ela roda com combustível obtido a partir de outra categoria de dejetos produzida por humanos: o lixo doméstico.

A Toilet Bike não está à venda, é um modelo conceitual, criado para promover a campanha ambiental da empresa. Qualquer semelhança com Jack Nicholson em Easy Rider é mera coincidência. Mas a campanha em que a Toilet Bike contracena com um Hell Angel chegou a dar ibope: não atingiu os píncaros do BigDog, mas até dezembro de 2011 estava com 115 mil exibições no YouTube.

http://www.youtube.com/watch?v=C4IJix0tUi8

Legenda: vídeo da campanha da Toilet Bike

Publicado originalmente na edição impressa #4. Imagens: divulgação.

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.